Esmagar o fascismo
O fascista e deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ) saiu a campo para ameaçar a esquerda e os setores populares no crivo da bala, é preciso se armar e reagir à altura!
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
placamarielle-1
Deputado fascista foi responsável por quebrar a placa em homenagem a ex-vereadora morta, Marielle | Foto: Reprodução/Facebook

Durante o aprofundamento da crise política, no momento em que os setores populares não suportam mais a presença única da extrema-direita nas ruas e reagem à altura, uma voz bolsonarista chamou a atenção. A figura em questão é a do deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ), que saiu do bueiro para defender o governo ilegítimo de Jair Bolsonaro em plena crise.  

O deputado, também ilegítimo, já que foi fruto de uma enorme fraude eleitoral que resultou nas eleições faz-de-conta de 2018, saiu a campo nas redes sociais, em um vídeo, para ameaçar todos os setores populares que foram a rua, em destaque as Torcidas Organizadas e o PCO, de que iria revidar o repúdio ao fascista genocida que está no governo com o crivo da bala. 

“Até que vocês vão pegar um polícia zangado no meio da multidão, vão tomar um no meio da caixa do peito, e vão chamar a gente de truculento” afirmou o fascista, complementando: “Eu ‘’ torcendo para isso. Quem sabe não seja eu o sortudo. Vocês me peguem na rua em um dia muito ruim e eu descarregue minha arma em cima de um filho da puta comunista que tentar me agredir. Vou ter que me defender, não vai ter jeito. E não adianta falar que foi homicídio, foi legítima defesa. Tenham certeza: eu vou me defender”.  

Embora a truculência da extrema-direita seja nítida e certa, não podemos ver isso como uma simples ameaça da boca para fora. Os fascistas estão se armando e se organizando rapidamente, e vários acontecimentos superficiais e outros nem tanto demonstram isso. O primeiro é a bandeira do Pravyy Sektor (Setor Direto), organização ucraniana declaradamente nazista, nas ruas de São Paulo juntamente com os bolsonaristas. E também a matéria do site Metrópolis que mostra que o grupo 300 pelo Brasil, dirigido pela fascista Sara Winter, havia alugado uma chácara para fazer treinamento militares 

Com o acirramento da luta de classes, os fascistas mostram ainda mais sua própria face e abrem as asas. É hora de cortar. A esquerda sempre apresentou a ideia reacionária, em nome de um pacifismo infantil, de desarmar o povo. Mas a única coisa que isso pode garantir é uma única: o esmagamento do povo pelos fascistas. Por esses mesmos que ameaçam a população quando se manifesta e estão se organizando e se armando para conter, pela violência, a vontade popular. 

Está na hora da esquerda abandonar toda ilusão pacifista, escutar atentamente o que os fascistas dizem e, principalmente, o que eles fazem e já fizeram. Não há espaço para o pacifismo pequeno-burguês no acentuamento da luta de classes que está em curso agora. É do caráter da tradição do movimento operário exigir o armamento do povo para se defender dos capangas da burguesia. 

A esquerda deve se armar contra o fascismo, se organizar profundamente e se preparar para a ameaça que surge nesse curso da História. Só assim, organizada e armada, a esquerda derrotará definitivamente os cães do fascismo e derrubará Bolsonaro. 

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas