Demagogia fascista
A defesa do armamento é puramente demagogia de Bolsonaro, que só quer armar a direita
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
1200px-Armed_soldiers_carry_a_banner_reading_Communism_Nikolskaya_street_Moscow_October_1917
Povo armado na rússia. | Arquivo histórico.

Nem bem Bolsonaro apareceu defendendo o armamento no vídeo da reunião ministerial divulgado pela Justiça e setores da esquerda correram para a defesa impensada do desarmamento. Trouxeram à tona até mesmo uma machete do jornal Correio da Manhã de 1937 com a citação do fascista italiano Benito Mussolini de que “só um povo armado é forte e livre” para relacioná-la com a fala de Bolsonaro de que “quer todo mundo armado. Que povo armado jamais será escravizado”.

Não há dúvida e nem precisaríamos de tal comparação sobre o armamento, que Bolsonaro e os bolsonaristas são tipos fascistas. Mas o grande problema seria saber se o fascismo, assim como Bolsonaro, realmente defendem o armamento do povo como dizem no discurso ou se tudo isso não passa de mais uma demagogia, método tipicamente fascista.

Outro ponto importante a se considerar é se, independentemente da realidade da política da extrema-direita, da qual nos permitimos contestar, a política do armamento do povo é correta ou não.

Comecemos pela segunda questão. Os que olham com escândalo a defesa do armamento atribuindo-a ao fascismo se perdem em um pacifismo superficial e pueril. Segundo essa ideia, a população deveria ser alijada de seu direito democrático de se armar. Mais ainda, segundo essa ideia, o povo deveria confiar no monopólio do Estado burguês da violência. Os trabalhadores deveriam aceitar a violência policial e se submeter ao domínio dos patrões, nas fábricas e no Estado. Esqueçam a revolução!

Daí, fica claro que a política pacifista, que prega o desarmamento, é contrarrevolucionária e portanto, burguesa. Na realidade, e veremos o porquê, a real política fascista é o desarmamento.

O fascismo defende o armamento no discurso e nada mais. É a demagogia com as massas desesperadas da classe média e do lumpem-proletariado. Quem tem alguma dificuldade de compreender isso basta olhar para o governo Bolsonaro sem se confundir com a histeria da imprensa burguesa e da esquerda pequeno-burguesa.

Acreditar que Bolsonaro realmente defende o armamento é muito ingenuidade. Ele quer armar os “cidadãos de bem”, a polícia, os grupos de extrema-direita, elementos ligados à repressão, não o povo. Bolsonaro não quer armar os operários, os camponeses, sem-terra, organizações populares.

É pura demagogia, discurso e nada mais. É assim como Bolsonaro, foi assim com o fascismo.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas