Esquerda continuará rezando para a santa urna eletrônica?

Ato neste domingo

Abaixo a censura ao PCO, ao 247 e pela liberdade de expressão!

Existe um cerco que se fecha cada vez mais contra as liberdades democráticas por parte do Estado

Resposta contra o golpe deve se dar nas ruas – Foto: Reprodução

Em junho, Alexandre de Moraes, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), incluiu o Partido da Causa Operária (PCO) no Inquérito das Fake News. Por meio de um despacho, o skinhead de toga do STF impôs o bloqueio de todas as contas nas redes sociais do Partido, algo efetivamente acatado pelas empresas de comunicação. Além disso, Moraes determinou a intimação do Presidente Nacional do PCO, Rui Costa Pimenta, junto à Polícia Federal.

Semanas depois, o ministro que não foi eleito por ninguém encaminhou uma investigação do PCO para o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob a alegação de “uso do fundo eleitoral para impulsionar atividades antidemocráticas”. Uma verdadeira farsa em forma de processo.

Artigos Relacionados

Anterior a isso, diversos episódios pavimentaram o caminho para a decisão do STF contra o PCO. Foi o caso da perseguição também jurídica contra Daniel Silveira, Alan do Santos e a cruzada identitária contra Monark. Estava claro que se tratava de uma operação política que, apesar de, à época, se voltar contra figuras pequenas da direita, serviu como um pretexto para, posteriormente, atacar a esquerda. O caso do PCO já deixou isso claro e, agora, temos ainda mais uma prova cabal disso.

Nessa quarta-feira (10), 15 vídeos do canal TV 247, ligado ao jornal Brasil 247, foram derrubados pelo YouTube. Segundo reportagem publicada no site do veículo, a decisão da plataforma se deu em decorrência da “prática de discurso de ódio” por parte do canal. Mais um pretexto farsesco, algo evidente pelo fato de que a maioria dos vídeos retirados do ar tratavam da alegada facada em Bolsonaro nas eleições de 2018.

A continuação do golpe

Estamos diante de ainda mais uma etapa do golpe de Estado que assola o Brasil há mais de uma década. Primeiro, veio o julgamento do Mensalão. Depois, a Lava Jato. Então, a prisão de Lula com a consequente eleição de Bolsonaro e, agora, um cerco generalizado aos direitos democráticos do povo.

É uma situação gravíssima, afinal, agora, não é apenas o PCO que está sendo censurado, tampouco meia dúzia de marginais da direita. Antes, se trata do maior canal de esquerda do Brasil, canal que possui quase 1 milhão de inscritos.

Agora, com a falta de dúvidas de que é uma operação política principalmente contra a esquerda, deve-se entender que é, acima de tudo, um artifício para, mais uma vez, aplicar um golpe contra Lula neste momento. Afinal, o regime golpista, com Bolsonaro, não conseguiu se estabilizar no País. Logo, é preciso aprofundá-lo e garantir a eleição de um representante mais firme do imperialismo, papel que, neste momento, é ocupado pela terceira via de Tebet.

A eleição de Lula, nesse sentido, representaria um gigantesco ataque ao golpe imperialista. Uma conquista dos trabalhadores que colocaria um grande freio nos planos da burguesia, algo que, necessariamente, resultaria em uma acentuação da polarização no País e, consequentemente, no nosso continente e mesmo no mundo.

É por isso que os direitos democráticos estão sendo atacados. No geral, a estratégia da burguesia é “comer pelas beiradas”. Veja-se o caso da Lava Jato: o pretexto era uma cruzada contra a corrupção, algo que, inicialmente, foi direcionado contra figuras políticas menores, muitas inclusive da própria direita. No final, a operação tornou-se o símbolo e o principal pilar do golpe contra Lula. Algo que garantiu sua prisão. O mesmo com o Mensalão em relação ao impeachment de Dilma.

A operação é internacional

É importante ressaltar que esta operação não representa uma política somente da burguesia brasileira. Finalmente, o processo golpista foi encomendado e orquestrado pelo imperialismo americano. Nada mais natural do que a continuação dessa relação para garantir o desenvolvimento do golpe no País.

Nos Estados Unidos, a situação é muito similar. Donald Trump, ex-presidente do país, por exemplo, foi banido do Twitter no meio das eleições presidenciais de 2020, pleito que garantiu a vitória de Biden que, indiscutivelmente, é um representante muito mais concreto do imperialismo do que Trump.

Recentemente, inclusive, teve sua casa invadida pelo FBI, mais uma violação flagrante da constituição americana. Sem contar no caso de um militante comunista que também sofreu o mesmo que Trump sob a alegação de “relações com a Rússia”. Uma reprodução evidente da política macarthista da época da Guerra Fria.

Já passou da hora de revidar

Enquanto a burguesia monta uma gigantesca operação, a esquerda permanece em coma cerebral. Para essa quinta-feira (11), por exemplo, a Fiesp e a Febraban convocaram um ato “em defesa da democracia” baseado na chamada Carta pela Democracia lançada por esses mesmos setores e amplamente divulgada pela imprensa burguesa.

Acima de qualquer coisa, foi um ato da terceira via, fabricado para legitimar toda a perseguição que o judiciário vem fazendo contra os direitos democráticos do povo. É uma manifestação contra a candidatura de Lula disfarçada de luta contra o “perigo” que o bolsonarismo representaria para o inexistente estado democrático brasileiro. O que, por sua vez, é uma grande farsa, tendo em vista que esses mesmos setores foram responsáveis pela eleição de Bolsonaro. Sem contar no fato de que ele não faz nada de concreto contra as instituições democráticas brasileiras. Apenas late.

Nesse sentido, a esquerda precisa romper completamente com a política da burguesia e travar uma luta consequente em prol da candidatura de Lula. Nem o povo, tampouco a esquerda, precisam da direita para levar adiante as suas reivindicações.

Caso contrário, o que vimos em 2018 se repetirá quase que por completo. A diferença é que, ao invés de Bolsonaro, quem tomará o poder é a terceira via, representante venal da política neoliberal que, por definição, serve para devastar o máximo possível o País. Política que terá resultados ainda mais massacrantes do que o que ocorreu durante o governo FHC.

Por isso, o Partido da Causa Operária convoca todos os leitores a participarem do ato que ocorrerá neste domingo, na Avenida Paulista, contra a censura do STF ao PCO e, consequentemente, contra a censura do YouTube ao 247. É preciso colocar o povo na rua o mais rápido possível para, de maneira efetiva, por um fim ao golpe no Brasil e eleger Lula presidente sobre a mobilização dos trabalhadores.

Todas as organizações, partidos, coletivos e demais agrupamentos da esquerda devem participar dessa mobilização. É, talvez, o momento mais crucial deste ano que já entrou para a história como uma das disputas mais polarizadas do País.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.