Menu da Rede

Acompanhe o Resumo do Dia na COTV

  • Capa
  • Esquerda
  • Luiz Müller repercute denúncia contra Boulos e IREE

Instituto de Etchegoyen

Luiz Müller repercute denúncia contra Boulos e IREE

Etchegoyen, General Golpista de 2016, no comando do IREE, um Instituto que se diz “plural”

General foi ministro de Temer e recriou o GSI – Foto: Reprodução

Receba o DCO no Email

─ Blog do Luiz Müller ─ Ao mesmo tempo em que a intentona golpista iniciada no fatídico “Junho de 2013” vai ficando mais clara pra cada vez mais gente, os patrocinadores da intentona, do subsequente “não vai ter copa” e de outras ações que culminaram com o golpe de 2016, estas mesmas forças patrocinadoras parecem estar se rearranjando para o que aparenta ser uma constante articulação contra o avanço e o desenvolvimento do Brasil como Nação Independente e Soberana.

Se em junho de 2013 muita gente da esquerda nem pensava que aquilo pudesse ser uma versão tupiniquim das “revoluções coloridas” promovidas pelo império no mundo árabe em 2011 e muitos até mesmo entendiam que as mesmas teriam sido sim movimentos “espontâneos” daqueles povos contra seus governantes insistentemente chamados de “ditadores’, embora eleitos.

Artigos Relacionados

De lá para cá, muita coisa já se aprendeu. Rapidamente a Esquerda e muita compreendeu que o que acontecia no Cazaquistão por exemplo, era uma nova tentativa de Revolução Colorida, prontamente rechaçada pelo Governo local. Também é notório que diante do fiasco da revolução colorida no Cazaquistão, o Império retomou a pressão contra a Rússia através da Ucrânia, hoje comandada por forças declaradamente Nazistas e que tem forte apoio no Brasil, como é possível ler no artigo A ucranização do Brasil.

Fiz este pequeno preâmbulo para reproduzir a seguir, na íntegra, artigo do DCO, pautado por uma pesquisa nos sites do IREE – Instituto para Reforma das Relações entre Estado e Empresa, que qualquer cidadão pode fazer na INTERNET.

“Cachorro mordido por cobra tem medo até de linguiça” e “gato escaldado tem medo de água fria”. Se até os bichos por instinto aprendem a não repetir erros, a gente deve ficar bem experto para não deixar repetir o “junho de 2013” como foi ou de outro jeito que possa ser.

No início de novembro, o Diário Causa Operária revelou, por meio de uma série de matérias investigativas exclusivas, que Guilherme Boulos ─ o queridinho da esquerda pequeno-burguesa e da imprensa golpista ─ é, na verdade, uma figura ligada ao imperialismo norte-americano através do IREE, um instituto golpista que está nas mãos do imperialismo norte-americano.

Junto a estas revelações, ficou evidente a cooperação, direta ou indireta, de Boulos com outros importantes nomes do regime golpista brasileiro, como o ex-ministro da defesa Raul Jungmann, como também do general do exército brasileiro, Sérgio Etchegoyen.

Etchegoyen não é uma figura qualquer. Ele foi chefe do Estado Maior do Exército, o segundo principal cargo da corporação, durante toda a operação do golpe de estado em 2016. Como não bastasse, sua família tem um grande histórico de golpistas e torturadores, tendo membros ativos tanto do regime fascista do Estado Novo, como também do golpe militar de 64.

No IREE, o general ocupa o posto de Presidente do Conselho de Administração do chamado “IREE Defesa & Segurança”, sendo frequente sua participação em debates promovidos pelo instituto, no qual cooperou, em mais de uma oportunidade, com Jungmann e sobretudo, com Walfrido Warde, o empresário que comanda o IREE e que Guilherme Boulos o destaca como um amigo pessoal.

screenshot 2021 11 01 14.58.36

Além disso, em artigos publicados no site do IREE Etchegoyen se destacou em diversas situações como um forte defensor do regime golpista, da perseguição política, pelo fim do foro privilegiado, e inclusive do próprio governo Bolsonaro, o qual classificou como um “verdadeiro governo “antissistêmico”.

O general também foi colocado em destaque pelo instituto quando fez por encomenda um texto intitulado “Quanto custa a derrota”. Em seu artigo, classificado como uma “análise” para o instituto, Etchegoyen destaca a necessidade de um controle cada vez maior dos aparatos de repressão no estado, como também coloca a posição de um importante setor do regime golpista sobre a luta política brasileira.

No instituto, Etchegoyen é o principal nome da área de “defesa” e representante do exército. Sua participação se resume principalmente a debates organizados pelo instituto, com podcasts, entrevistas exclusivas e análises de tipo político para a instituição, ditando as linhas gerais do IREE. Além disso, ele é colocado como “especialista” do instituto na área de segurança pública, levando a campanha da extrema-direita como carro-chefe, ao mesmo tempo em que o IREE faz demagogia na defesa do que chama de uma polícia “democrática” e “antirracista”.

Sobre esta parceria com o general fascista e outros integrantes da extrema-direita brasileira, Guilherme Boulos afirmou que o IREE não passa de um “instituto plural”, o que justificaria a presença de figuras fascistas em seu interior, misturadas com esquerdistas, sem nenhum problema. No entanto, o que não explica é a profunda relação entre seu empresário, Warde, com estas figuras que ocupam cargos de destaque na instituição.

É importante frisar, que os setores que mais possuem políticos e importantes nomes da extrema-direita brasileira são justamente os pontos chave da política do IREE. Isso pode ser visto por exemplo, na direção do IREE Economia, como também no IREE Defesa, organizados por importantes nomes do regime golpista, conhecidos defensores do neoliberalismo e do imperialismo no país.

Etchegoyen é uma ponte do IREE-Warde-Boulos com os militares. Com o setor mais sinistro e pró-imperialista das Forças Armadas. Em maio, o IREE realizou um evento que contou com a participação de Etchegoyen e também de ninguém mais ninguém menos do que o vice-presidente da República, o general Hamilton Mourão ─ cujas posições tiveram ampla repercussão por parte do IREE.

Etchegoyen nada mais é que uma das principais representações desta situação, um fascista que está na direção de um instituto dito como “defensor da democracia” e que impulsiona o golpe de estado no país, atrelado a ele está Warde e seu “amigo”, Guilherme Boulos, hoje pré-candidato ao governo de São Paulo e que cumpre papel importante nas sabotagens ao PT, principalmente à sua ala lulista, bem como às organizações mais combativas da esquerda nacional.

Se Etchegoyen, assim como sua família, entrou para a história como um importante nome do golpismo no país, Guilherme Boulos, como revelado por este Diário, acompanhou a política do imperialismo contra o povo brasileiro desde seu surgimento. Com a política do “Não vai ter Copa”, com o boicote à campanha em defesa de Lula e às manifestações, com a política de roubar votos do PT e defender o golpe de estado, Boulos surgiu como uma liderança artificial, apoiada pela Folha de S.Paulo e por empresários ligados ao imperialismo, como no caso de Warde.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores

DCO

O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Outros

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.