Porto Seguro (BA)
Os ataques da direita e do judiciário golpista representam uma enorme ofensiva contra os trabalhadores da cidade
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
WhatsApp Image 2020-07-21 at 19.39.50 (1)
Uma das 200 famílias que vivem dentro do Projeto Mangabeira | Imagem reprodução

Nesse momento, 200 famílias que ocupam uma área do município de Porto Seguro, Extremo Sul da Bahia, correm o risco de serem jogadas nas ruas da cidade em um dos piores momentos da pandemia de coronavírus e da falta de leitos de UTI´s no hospital da região. A área em questão é o pré-assentamento Projeto Mangabeira ocupando a área há 17 anos e com toda a infraestrutura de uma comunidade rural, como água, luz e escola.

Na área habita quase mil pessoas, com cerca de 200 casas de alvenaria, além de inúmeras roças que são o ganha pão de centenas de famílias, muitas o único recurso.

A ordem de despejo veio do juiz Fernando Paropat, da 2° Vara Cível de Porto Seguro a pedido da grileira de terra Vanessa Dasilio Coser, que se diz proprietária da área, mas não possui nenhuma documentação que prove, tanto que a própria CDA (órgão responsável pela questão fundiária no estado da Bahia) já provou que é terra pública em processo de regularização para a transformação da área em um projeto de assentamento, o Projeto Mangabeira.

 

Expulsão das famílias para beneficiar a especulação imobiliária

 

Como dissemos anteriormente, as famílias estão no local há 17 anos e nunca foram sequer intimadas por ninguém na justiça ou na ocupação até recentemente, quando foi construído o anel viário que passa pela pré-assentamento Projeto Mangabeira e leva ao litoral norte de Porto Seguro, uma região de enorme especulação imobiliária e de grande potencial turístico onde vive a elite da cidade.

A construção ocorreu em 2015 e desde então as famílias começaram a receber intimações da justiça através dos “proprietários” que não possuem nenhuma documentação que comprove a posse dessa área.

Não é por acaso que na região está se construindo uma quantidade grande de condomínios de luxo e resorts, incluindo um que está na entrada do pré-assentamento. Ou seja, querem jogar as 200 famílias nas ruas e destruir suas casas e todos os seus pertences para contribuir nos lucros de pessoas interessadas na grilagem de terras e na especulação imobiliária. Isso com total apoio do judiciário golpista.

 

É preciso impedir da maneira que for necessária o despejo das famílias

 

O Projeto Mangabeira é uma área de extrema importância econômica e social para o município de Porto Seguro e representa uma grande vitória para a população pobre e trabalhadora. No seu entorno possui outras áreas de ocupação da mesma situação e com a direita e os patrões de olho para mais despejos. Somado essas áreas podem representar cerca de 800 famílias.

Caso a direita da cidade com o apoio do judiciário e da polícia militar consiga expulsar as famílias do Projeto Mangabeira haverá uma grande pressão no sentido de expulsar as famílias de outras ocupações, funcionando como um efeito dominó.

Nesse sentido é preciso que os trabalhadores e as organizações de esquerda (partidos políticos, sindicatos, movimentos sociais) da cidade impeçam da maneira que for necessária e com os meios necessários a reintegração de posse.

A direita conta com total apoio do governo fascista de Jair Bolsonaro que trata os moradores de ocupações e assentamentos como bandidos a serem combatidos enquanto dá todo apoio aos piores bandidos e estes sim roubam a terra: os patrões e a grileiros de terras públicas, neste caso ligados a especulação imobiliária.

É preciso uma grande mobilização das famílias do Projeto Mangabeira e das organizações de esquerda que devem dar apoio incondicional às famílias, não somente com notas de repúdio, mas com recursos para realização de uma enorme campanha contra os despejos e mobilizando seus militantes e simpatizantes para estarem no local no momento do despejo.

Esse momento é de grande importância para derrotar a direita e os patrões da cidade que querem jogar a maior parte dos trabalhadores nas ruas, destruindo sua fonte de renda e casas, para aumentar o número de desempregados na cidade e reduzir o salário dos trabalhadores.

Os culpados por essa barbaridade é o judiciário e a direita que está incentivando esse tipo de medida realizada pelo governo Bolsonaro. Isso porque se estabeleceu dentro do governo total apoio aos ataques aos movimentos de moradia e de luta pela terra.

Não ao despejo das famílias do Projeto Mangabeira!

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas