#EuApoiooDCO
A campanha contra o ataque fascista, que tentou destruir o DCO, deve ser utilizada como um instrumento para ampliar a luta contra o golpe, a ditadura e o fascismo no Brasil
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
102993984_3728676400482902_2603185505218705967_o
Ato Fora Bolsonaro na Av. Paulista | Arquivo DCO

Hoje minha coluna será sobre a campanha contra o ataque hacker ao Diário Causa Operária Online (DCO). Quero compartilhar com os companheiros de que forma vi o ataque e como considero que ele deva ser enfrentado.

Acompanho o PCO desde 2015, sou militante do partido desde 2017, integrante da corrente educadores em luta e redator do DCO.

Desde que acompanho a imprensa partidária, já vi o partido ser atacado de várias formas, pela direita e pela esquerda. No entanto, entre todos os ataques, calúnias, entre outros, nenhum deles passou pela tentativa de destruição da imprensa do partido.

A tentativa de destruição do DCO, ocorrida no último dia 18 de julho, quando da invasão do nosso jornal eletrônico, apesar de ter sido barrada pelos militantes do partido, a ação dos criminosos, que durou cerca de 50 minutos, conseguiu apagar mais de 4 mil artigos e destruir uma parte considerável da estrutura do site.

O propósito é claro. O método, inequívoco: uma ação fascista, que buscou apagar todo o acervo, de mais de 30 mil artigos, ou seja a destruição do principal jornal partidário do País!

É necessário ter a clareza de que esse ataque, em 2020, em plena ascensão da extrema direita no mundo, com o governo Bolsonaro no Brasil, não é, de forma alguma, coincidência. O fascismo, por onde passou, atacou as organizações de luta dos trabalhadores até destruí-las. Na Alemanha nazista, onde o fascismo se desenvolveu da forma mais acabada, Hitler destruiu um sem número de gráficas e jornais da esquerda. As ditaduras posteriores, todas assimilaram os métodos do fascismo e os utilizaram contra a esquerda e os trabalhadores em todo o mundo, assim como em 64 no Brasil.

Contudo, o fascismo não ficou impune. A classe operária se levantou contra os cães de guarda da burguesia, como Mussolini, como Hitler, como os integralistas no Brasil, e em todos os lugares, os esmagou! É preciso extrair dessa lição histórica as orientações que Trotski nos deu: o caminho para barrar o fascismo é a frente única de esquerda.

A campanha em defesa da imprensa operária contra o fascismo faz parte deste esforço, de converter a experiência histórica numa ação intransigente contra a extrema direita. A burguesia imperialista, como no século passado se vê em desespero diante da crise total do capitalismo e novamente lança os fascistas ao poder para destruir as organizações de luta dos trabalhadores.

É neste sentido que convoco todos os companheiros, professores, trabalhadores em Educação, metalúrgicos, petroleiros, estudantes, militantes, dirigentes sindicais e populares, a participarem da campanha em apoio do DCO, fortalecendo a trincheira da frente única, pelo Fora Bolsonaro e todos os golpistas!

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas