Frente ampla com a direita
Na matéria Direitos já anuncia maior evento digital pro democracia no Brasil, publicada no site Vermelho é exaltada o “ evento com a fina flor da direita
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Direitos Ja
Movimento Direitos Já | Foto: Reproduçõa

A crise do governo Bolsonaro colocou em pauta a necessidade de uma alternativa política, as manifestações e atos pelo “Fora Bolsonaro”, que se realizam desde do final de maio, demostraram a possibilidade de extenso movimento de esquerda independente. Ao mesmo tempo, setores da burguesia que deram o golpe de Estado em 2016, que colocaram Bolsonaro no Palácio do Planalto associados com a esquerda-vira-página-do-golpe (PCdoB, direita do PT e parte do Psol) se apressaram em lançar manifestos e atos virtuais pela Frente Ampla.

Na matéria “Direitos já anuncia maior evento digital pro democracia no Brasil”, publicada no site Vermelho do PCdoB, é exaltada o “evento pró-democracia virtual” reunindo a fina flor dos políticos golpistas que retiraram os direitos sociais, econômicos e políticos do povo brasileiro.

Cada vez mais integrado por políticos da direita tradicional – alguns inclusive, figuras de proa no golpe de 2016, como FHC e até mesmo Michel Temer, o vice presidente que se transformou em presidente usurpador após o impeachment, foram convidados para o III Ato Direitos já! O “Fórum pela Democracia”, marcado para o próximo dia 26 de junho, é mais uma inciativa visando limpar a ficha corrida da direita tradicional, que depois de retirar direitos e impor um regime golpista quer apresentar-se como “democrática” e “cheirosa”.

Primordialmente, essa política de frente ampla é uma operação de reciclagem do lixo político que deu o golpe de 2016 e que, depois de estabelecer as bases do funcionamento do regime golpista, encontra-se em conflito com o governo Bolsonaro, para o qual perdeu praticamente toda a sua base social eleitoral. Para que essa completa fraude política possa realizar-se – e também a reciclagem de políticos como FHC, Marta Suplicy, Marina Silva, entre outros, e mesmo partidos inteiros como o PSDB, Rede -, é preciso que setores da esquerda oportunista possam servir como avalista dessa operação aos olhos da massa popular.

Em consonância com essa política, o PCdoB procura desempenhar o papel de fomentador principal dessa política de frente ampla, tendo os políticos da direita do PT (parlamentares e governadores) e políticos da esquerda pequeno-burguesa como Marcelo Freixo e Guilherme Boulos como parceiros nessa empreitada. O governador do Maranhão pelo PCdoB, Flávio Dino constantemente aparece na imprensa para distribuir “credenciais democráticas” para políticos burgueses e mesmos para bolsonaristas arrependidos.

O coordenador nacional dos “Direitos Já!” é o sociólogo Fernando Guimarães, ex- dirigente do PSDB que afirma que o ato virtual do dia 26 é a constituição do palanque mais amplo após o movimento das Diretas Já de 1984. Mas, como Karl Marx já havia escrito no 18 de brumário de Luis Bonaparte, primeiro como tragédia, depois como farsa.

O palanque mais amplo, nada mais é do que do uma coalizão de figuras reacionárias e de esquerdistas sem apoio para dar cobertura, visto que Lula se opõe à frente. A função da esquerda oportunista é servir de correia de transmissão para a política da burguesia no interior do movimento de esquerda, em nome da “defesa da democracia” e dos “direitos”.

 

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas