Menu da Rede

Domingo: Rui C. Pimenta apresentará balanço da situação política

Pela vida no campo e na cidade

Utilizar as eleições para denunciar os despejos criminosos

Não só ampliar a assistência social durante a pandemia, como também a proibição imediata dos despejos, a expropriação dos latifúndios e dos especuladores imobiliários.

Novas ocupações nas cidades em plena pandemia. – Reprodução

O Partido da Causa Operária, como partido revolucionário participa das eleições municipais para denunciar o golpe de Estado em curso e reivindicar as demandas fundamentais da população explorada. O direito a moradia e a terra para subsistência é uma dessas necessidades básicas que o PCO apresenta no seu programa de governo, defendendo o fim de todos os despejos, sejam eles devido à falta de pagamento de aluguel, sejam eles dos processos de reintegração de posse.

As populações que vivem nas periferias dos centros urbanos e dependem de aluguel, as populações em situação de rua, populações do campo, os povos indígenas, quilombolas, ribeirinhos, caiçaras e tantos outros grupos populacionais que vivem à margem da sociedade, historicamente enfrentam ameaças e violações no seu direito à moradia e a terra. Essas populações resistem as violências cometidas por latifundiários, grileiros e especuladores, mais principalmente pelo próprio Estado, por meio de ações violentas autorizadas pelo judiciário e apoiadas pelo legislativo e executivo.

Desde o golpe de 2016 o número de pessoas em situação de rua nas cidades aumentou exponencialmente, assim como a repressão a esses grupos populacionais, que já viviam em condições precárias, hoje pela situação provocada pelo COVID-19 são condenados à morte por esse governo genocida.

Na contramão das ações mundiais adotadas nos países mais impactados pela pandemia para controlar a disseminação do coronavírus, o ilegítimo governo Bolsonaro vetou o dispositivo Lei 14.010/20 que suspendia, até 30 de outubro, a concessão de liminares para despejo de inquilinos por atraso de aluguel ou fim do prazo de desocupação acordado.

Esse veto foi derrubado no último dia 20 de agosto, contudo os despejos em áreas urbanas nunca pararam, muito menos nas áreas rurais. São diversos os processos de reintegração de posse e ações de despejo no campo e nos territórios indígenas. Despejo na pandemia é no mínimo abuso de autoridade, quando na verdade é uma ação criminosa pelo código penal, pois coloca pessoas em situação de vulnerabilidade, expostas a um risco ainda maior de contaminação e disseminação da doença.

O mercado imobiliário considera os despejos como um fator positivo. Em meio à pandemia, os preços dos aluguéis subiram e o número de despejos dobrou, enquanto os  deputados têm auxílio mudança de R$33 mil garantido, e os latifundiários e banqueiros inadimplentes tem as suas dívidas perdoadas, como vem sendo denunciado no Diário da Causa Operária.

Organizações de esquerda ligadas aos movimentos populares, de luta pela terra e por moradias lançaram no último 23 de julho a campanha “Despejo Zero – Em defesa da vida, no campo e na cidade”. Mostrando que o único caminho possível diante da conjuntura política é a mobilização popular, o único método de luta viável neste momento.

O PCO apresenta no seu programa de governo a proposta de não só ampliar a assistência social para toda a população durante a pandemia como o auxílio emergencial, abrigo imediato, acesso universal a água e a luz, como também a proibição imediata dos despejos.

Por isso, o PCO propõe a mobilização das populações do campo e da cidade, dos movimentos de luta pela terra, dos sem teto, dos indígenas e os povos tradicionais para se unirem na luta por um governo dos trabalhadores, pelo Fora Bolsonaro e todos os golpistas e para reivindicar:

  • Anulação de todos os processos de despejo;
  • Expropriação dos latifúndios e dos especuladores imobiliários;
  • Imediato assentamento em todas as terras e propriedades ocupadas;
  • Demarcação das terras indígenas e regularização das terras quilombolas;
  • Ocupação dos prédios e propriedades abandonadas.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores
O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Cultura

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.