Menu da Rede

Venezuela e China vão ampliar cooperação científica e tecnológica

Arthur Cesconetto Souza

Militante do Partido da Causa Operária e da Aliança da Juventude Revolucionária em Santa Catarina

  • Capa
  • Colunistas
  • Quem a gente namora define muita coisa – Parte 2

A saga da esquerda continua

Quem a gente namora define muita coisa – Parte 2

Agora, não é mais novidade para ninguém que na dita esquerda brasileira, há mais dos "coroas endinheirados" do imperialismo do que parece a primeira vista.

O caso Boulos – Reprodução

Receba o DCO no Email

No mês de agosto deste mesmo ano escrevi sobre o grande caso de amor da esquerda pequeno-burguesa com a principal ala do golpe. Na época, as manifestações ocorriam por todo país e a esquerda, a contragosto de sua base, sonhava com a frente ampla e a aliança com Doria e companhia. Inspirado pelas profundas frases de Isa Penna, deputada em São Paulo pelo PSOL, decidi comentar sobre as estranhas relações que a esquerda vinha estruturando.

A deputada, frente a inúmeras críticas de sua aliança com o MBL declarou “Quem nunca namorou com alguém de direita?!”, e sinalizou em uma espécie de “política para crianças” que quem não andasse com essa gente “ficaria sozinho no recreio”. Até então, dei como encerrado a análise a respeito dos duvidosos “namoricos” do PSOL, talvez em uma esperança de não ver algo tão tosco novamente, contudo, após as declarações públicas de amor e amizade de Guilherme Boulos a empresários que fazem o trabalho sujo do imperialismo no Brasil, percebi que figuras como Kim Kataguiri são peixe pequeno para o que os figurões PSOL almejam.

Um caso de amor proibido

Desde o início de novembro, neste mesmo Diário, foram reveladas como uma bomba as ligações de Boulos com o IREE, instituto de Walfrido Warde, um empresário ligado ao principal setor do golpe e que recentemente financiou figuras como Sergio Moro, e emprega em seu próprio instituto Sérgio Etchegoyen (ex-ministro do Gabinete de Segurança Institucional) e Raul Jungmann (ex-ministro da Defesa).

Boulos é nada mais nada menos que pago por este instituto, partido de um think tank financiado a nível internacional pelo NED e pelo governo dos Estados Unidos. O caso mostrou-se em outro patamar, deixando o namorico de Isa Penna e Kim Kataguiri no “chinelo”. Agora, imagine você leitor, a situação que foi posta a Guilherme Boulos, ao ser revelado seu amor proibido com os figurões do imperialismo no Brasil…

Não teve outra, em entrevista ao DCM, na hora de se justificar, o mesmo gaguejou, tentou fugir do assunto e, por fim, como um tímido rapaz, levemente corado e tentando em vão esconder seu sorriso, Guilherme Boulos lançou aquela frase clássica de garoto apaixonado, “somos apenas bons amigos”…

O “Sugar Daddy” de Boulos

Do inglês, “Sugar Daddy” pode ser traduzido livremente como “coroa endinheirado”. Segundo o site da Wikipédia brasileira, um relacionamento “sugar” seria um “relacionamento romântico entre duas pessoas de idades distintas, nas quais uma das partes é sustentada por dinheiro, presentes ou outros benefícios em troca da relação amorosa”.

O que vemos no caso Boulos, utilizando-se como base o guia político de Isa Penna, nada mais é que uma relação “sugar”. A relação de ambos não é nova para quem acompanha a página de fofocas da imprensa burguesa. Em um artigo intitulado “Walfrido Warde, o amigo rico que é cabo eleitoral de Boulos no Jardins” da revista Veja, os principais fortes sinais de uma estranha relação aparecem.

screenshot 2021 11 01 14.47.35

Com o passar das semanas e com a polêmica deste novo casal estourando em toda a esquerda, novas revelações surgiram mostrando a ligação direta do IREE com organizações braço da CIA em todo o mundo. Boulos até o momento vem cumprindo seu papel, recebe de Warde e leva a frente a política do golpe com viés esquerdista.

Do “não vai ter Copa” à campanha contra Dilma, Boulos já havia se mostrado uma figura com estranhas ligações na esquerda. Agora, não é mais novidade para ninguém que, na dita esquerda brasileira, há mais dos “coroas endinheirados” do imperialismo do que parece à primeira vista.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores

DCO

O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Outros

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.