Siga o DCO nas redes sociais

Perseguição política
MPF denuncia e busca censurar Greenwald para defender a Lava Jato
Um verdadeiro esquema de censuras e prisões aos moldes da ditadura
moro
Perseguição política
MPF denuncia e busca censurar Greenwald para defender a Lava Jato
Um verdadeiro esquema de censuras e prisões aos moldes da ditadura
Foto : José Cruz/Agência Brasil
moro
Foto : José Cruz/Agência Brasil

O MPF (Ministério Público Federal), tomado pela direita golpista em Brasília, denunciou nesta terça-feira (21) sete pessoas na Operação Spoofing, sob acusação de invadir celulares de autoridades brasileiras. Entre os acusados está a jornalista Glenn Greenwald, um dos fundadores do site The Intercept.

Essa “spoofing”, cujo termo significa um tipo de ataque no qual um hacker se passa por outro aparelho ou usuário de uma rede com o objetivo de roubar dados, se desdobra da mesma forma que tantas outras operações ilegais no último período, passando até mesmo por cima do ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal), que proibiu investigações sobre o jornalista, em agosto, vendo o risco de ferir a liberdade de imprensa.

Como no processo de Lula, mesmo sem provas, os investigados são acusados da prática de organização criminosa, lavagem de dinheiro, bem como, de hackear e conseguir interceptações telefônicas. Embora Greenwald não seja investigado, nem indiciado, segundo o MPF, teria ficado “comprovado” que ele auxiliou, incentivou e orientou o grupo durante o período das invasões.

E pasmem, muitas das acusações que caem sobre os investigados, são as mesmas que as gravações evidenciaram sobre a quadrilha da Lava Jato.

Para esses fascistas travestidos de justiceiros, não basta sabotar qualquer investigação contra eles mesmos, que, neste caso, são provas físicas, com vozes dos juízes e procuradores organizando toda uma trama golpista para destruir nosso país. Não! Esses inquisidores medievais, ainda se utilizam das verdadeiras provas para atacar os que estão revelando todo o seu esquema, organizado desde os EUA até as camadas mais diversas da burguesia em nosso país.

Um pequeno adendo valido, é que ainda há partidos de esquerda dizendo que há democracia e que devemos esperar as eleições.

Contudo, vejam bem esta situação: áudios revelaram um esquema de treinamento direto dos EUA, com palestras financiadas por nosso dinheiro público; uma trama entre os juízes nas sentenças de Lula, combinando provas, mudando o que fosse necessário; processo em tempo recorde no caso de Lula, como se o juiz responsável nem tivesse lido, ou, neste caso, como se já tivesse lido anteriormente; Moro livrando a direita de investigações, no caso de Eduardo Cunha (mas não eram eles os bastiões da luta contra a corrupção?); coordenando as operações com delegados, apesar de ser o juiz que deveria ser isento no julgamento final; a Lava Jato tem acesso ilegal a Receita Federal e etc.

Um escândalo!

 

Um breve resumo da Vaza Jato para os mal caráter ou para os esquecidos:

 

  • Deltan incentivou cerco da Lava Jato a Toffoli, revelam mensagens, com Folha de S.Paulo
  • Moro omitiu palestra remunerada em prestação de contas como juiz federal, com Folha de S.Paulo
  • Deltan usou partido político para mover ação contra Gilmar Mendes no STF, com UOL
  • Corregedor da Procuradoria viu conduta grave de Deltan, mas não abriu apuração, com Folha de S.Paulo;
  • Lava Jato viu em resultado das eleições no Senado chance de tirar Gilmar, com UOL;
  • Lava Jato planejou buscar na Suíça provas contra Gilmar Mendes, com El País
  • “Vou te pedir para ser laranja em outra coisa”, por The Intercept;
  • Diálogos indicam que Moro instruiu força-tarefa a não apreender celulares de Eduardo Cunha, com BuzzFeed News Brasil
  • Deltan rejeitou receber prêmio ao lado de Bolsonaro e “radicais de direita”, com UOL
  • Deltan fez lobby com STF e governo Bolsonaro para tentar emplacar novo PGR, com UOL
  • Lava Jato driblou lei para ter acesso a dados da Receita, mostram mensagens, com Folha de S.Paulo
  • Deltan idealizou monumento à Lava Jato, mas Moro previu crítica à ‘soberba’, com Folha de S.Paulo
  • Deltan mudou contratos de palestras, e filantropia ficou de lado, apontam mensagens, com Folha de S.Paulo;
  • Como os grandes bancos escaparam da Lava Jato, com El País
  • “Sigilo total”, por The Intercept
  • Procuradores da Lava Jato ironizam morte de Marisa Letícia e luto de Lula, com UOL

“Essa reportagem fez com que a procuradora Jerusa Viecili, que também aparece nos diálogos fazendo piadas, pedisse desculpas no Twitter: ‘Errei. Minha consciência me leva a fazer o correto: pedir desculpas à pessoa diretamente afetada, o ex-presidente Lula’.”

  • “Vazamento seletivo”, por The Intercept;
  • Delator preso pela Lava Jato diz ter lavado dinheiro para Grupo Silvio Santos, por Folha de S.Paulo

 

Sobre a liberdade de expressão e liberdade de imprensa:

 

Segundo a Constituição de 1988, uma carta burguesa de direitos e deveres, temos:

  • Nenhuma lei ou dispositivo pode vetar de qualquer forma a plena liberdade da informação jornalística;
  • É vedada toda censura – seja de natureza política, ideológica, artística.
  • E é assegurado o direito de resposta, proporcional ao agravo que tenha sofrido. Estão sujeitos à indenização por dano material, moral ou à imagem.

Segundo as leis internacionais, o jornalista tem todo direito de divulgar seus materiais, ainda mais, quando se trata de traidores, entreguistas da mais “baixa laia”, como Moro e Dallagnol.

 

Sobre a CIA e espionagem de hackers:

 

Então, se os hackers conseguiram conversas sobre procuradores e juízes da República, planejando ilegalmente atos contra nossa soberania, quem deveria ser investigado são esses últimos, não? É como se os áudios de Moro e Dallagnol não existissem.

Aqui temos um fator importante sobre o golpe de Estado. A cada nova divulgação da “Vaza Jato”, ficava mais evidente que a CIA atuou criminosamente para favorecer a derrubada de Dilma, para perseguir o PT e toda a esquerda. É uma operação política para condenar e prender a esquerda e promover a extrema-direita.  E mais, foi uma operação de espionagem com grampos até mesmo na presidenta. Onde está, no processo desses algozes fascistas, a parte em que cita a invasão da liberdade da presidenta eleita em exercício? Espionagem!

E vale ressaltar que a CIA é muito experiente em trabalhos de hackers; espionagem através de satélites; por dispositivos diversos como os Smartphone, notebooks; e espionagem física dos seus opositores.

Como exemplo político, vamos utilizar a questão dos países oprimidos versos o imperialismo. Imaginem que os tais “terroristas’ do Oriente Médio, são os tais “hackers maus” e a Lava Jato, como o imperialismo, os “bonzinhos”.

Hoje já sabemos por denúncias de ex-soldados, que os EUA invadiram o Oriente Médio por conta do petróleo, mas, mesmo assim, precisaram criar uma propaganda do “terrorismo”, de que os “radicais” tinham armas nucleares e qualquer outra mentira necessária para vender o seu peixe. O imperialismo, de diversas formas, por cima e por baixo dos panos, criou toda uma situação para invadir a região, criando um Estado artificial anteriormente, Israel, para ajudar no controle com seus agentes infiltrados por todo território. Na propaganda interna e externa, se via um verdadeiro terrorismo de informações, para que as pessoas ficassem com medo dos “homens bombas”, contra suas casas e famílias, para que o povo norte-americano ajudasse a bancar a conta da invasão e massacre dos povos da região. Uma típica propaganda nazista.

Após milhares de bombas, milhões de civis mortos – e não contabilizados -, e a morte dos líderes rebeldes, nunca se acharam as tais armas.

O que foi “encontrado”, na verdade, foram milhares de emails de Hillary Clinton, pelo hacker Assange – hoje preso pelo imperialismo e sendo torturado -, onde ela demonstra que ajudou a financiar o próprio Estado Islâmico, o ISIS. Aqui chegamos no ponto chave: o que o imperialismo mundial acusa de serem hackers, muitas vezes, são pessoas comuns lutando para demonstrar a podridão por dentro do sistema capitalista genocida, caso de Assange, ou do soldado Bradley Manning, de dentro das tropas no Oriente Médio.

Quem são os terroristas de verdade? Quem são os hackers de verdade? Quem é o perigo para o mundo? O imperialismo ou os hackers? Assange, frente a provas enviadas por um soldado, deveria se calar ou publicar?

É isso que esta acontecendo com Gleen no Brasil, mas comandado pelos EUA, sem novidade alguma!

O imperialismo, com sua opressão, intervenção, criou o que chamam de “terroristas”, com um planejamento sofisticado, amedrontando o povo para rouba-los, tudo em nome da paz.

 

Conclusão mais do que óbvia:

 

Esta explícito para que serve a justiça burguesa no Brasil. Juízes, procuradores, todas as instâncias possíveis e imagináveis, estão trabalhando para criar uma ditadura, com censura, prisões arbitrárias dos opositores políticos, enquanto esses agentes treinados saem ilesos da entrega do país. As “investigações” seletivas da Vaza Jato destruíram empresas brasileiras, gerando milhões de desempregados, miseráveis, e estão entregando de graça outras tantas. Sem esquecer também do “fundo monetário” que a Lava Jato criou, roubando dinheiro recuperado das operações, ou, melhor dizendo, aceitando o pagamento dos EUA pelos seus serviços.

Para os que diziam que o PT aparelhou tudo, fica mais uma prova de que a burguesia sempre comandou o Estado Burguês, com famílias que estão dentro do Congresso desde….sempre. Esperaram pacientemente, treinaram seus juízes/agentes nos EUA e agora a ditadura esta em pleno vigor.

No comando dos EUA, nazistas que jogam bombas e assassinam os opositores. No Brasil, nazistas que prendem a oposição sem provas.

Só não vê quem é cego! Abaixo a perseguição a Gleen e aos hackers que demonstraram a sujeira da Lava Jato e dos EUA!

Fora Bolsonaro! Abaixo a Ditadura! Abaixo a Censura!