Financiado pelo imperialismo
Financiado pelo núcleo duro do Golpe de 16, o movimento não passa de um engodo cuja finalidade é defender o regime golpista, com ou sem Bolsonaro
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Reprodução: DuckduckGo
Patrono de Tabata Amaral, Lemann tem tradição em manobras como o movimento defendido pelo PIG | Reprodução: DuckduckGo

Colocando mais concretude à natureza espúria do movimento “Estamos Juntos”, o apoio financeiro de Jorge Paulo Lemann, da Ambev, e Maria Alice Setúbal, do Itaú, ajuda a esclarecer o que este agrupamento realmente é: a escória golpista, nacional e estrangeira, unida para manobrar com o repúdio popular ao regime de Bolsonaro, seja para mantê-lo ou, em último caso, para mitigar a crise política desencadeada pela sua eventual substituição.

Celebrado com muito entusiasmo pelo chamado PIG, o conjunto de órgãos da imprensa capitalista mais abertamente dedicados à defesa dos interesses imperialistas no país, não chega a ser espantoso a virulência que a propaganda destes órgãos dedicou ao ex-presidente Lula por criticar o manifesto assinado pelo movimento, que contou com apoio de golpistas notórios como Fernando Henrique Cardoso e Luciano Huck, além de alguns dos elementos mais reacionários da esquerda, caso do governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB) e o ex-prefeito petista Fernando Haddad.

A origem do financiamento do grupo inclui ainda a ONG norte-americana National Endowment for Democracy (NED), tradicional agência de fomento a golpes de Estado patrocinada pelos setores imperialistas da burguesia dos EUA. Criada no governo de Ronald Regan, a NED conta em seu currículo com as chamadas “revoluções coloridas” no Leste Europeu, além de passagens por Rússia, China, Venezuela (desde o golpe de 2002 contra o líder bolivariano Hugo Chávez) e Egito, tendo sido banida em todos estes países por sua ativa participação em campanhas golpistas, tais como o levante de Hong Kong, caso mais recente de atuação da ONG.

Este vício de origem, a comprovação de financiamento pelo dinheiro sujo de golpistas abertamente ligados ao imperialismo (ou seja os reais promotores do golpe de 16 e da eleição de Bolsonaro), demonstra de maneira muito contundente o caráter reacionário do movimento. Demonstrando uma dificuldade enorme em controlar o irrefreável Bolsonaro (parte pela personalidade do homem mas fundamentalmente pelas contradições do arranjo político que o sustenta), a burguesia abusa dos preconceitos políticos da pequena burguesia, classe mais sensível à festividades que tradicionalmente marcam o lançamento de frentes ampla, verdadeiras festas rave dado o grau de lisergia e depravação que acompanham estas surubas políticas, no Brasil e no mundo, hoje e sempre.

Embora tenha sido desmascarada com muita facilidade, esta tentativa da burguesia de emplacar uma frente ampla mais abertamente dirigida pela direita certamente não será a última. Osbobinhos” no campo da esquerda fazem mil e um malabarismos retóricos mas há quase cem anos Trótski já alertava os trabalhadores sobre este expediente. A história se encarregou de confirmar que, de fato, a frente ampla é um dos últimos recursos da burguesia quando esta se encontra uma situação de desespero (o outro é o fascismo escancarado), justamente o que não falta à classe dominante na atual etapa da crise impulsionada pelo coronavírus. Os setores mais conscientes da esquerda precisam se atentar a este tipo de manobra, que pode atender aos interesses mesquinhos de um número muito reduzido de oportunistas e certamente atende à burguesia (o que justifica o investimento de Lemann e Setúbal) mas nunca aos trabalhadores.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas