Jagunços invadem terras demarcadas pela FUNAI em Uruará (PA) e ameaçam expulsar indígenas

uruará (1)

Da redação – Avança o ataque contra as terras indígenas levado a cabo pelo programa da extrema-direita eleita pela fraude na pessoa de Jair Bolsonaro (PSL). Desta vez o ataque dos jagunços contratados por latifundiários ocorreu na forma de extração de madeira ilegalmente na Terra Indígena (TI) Arara do Laranjal, no município de Uruará, no Pará. A Terra Indígena Arara é de usufruto exclusivo desse povo, desde dezembro de 1991 quando teve seus limites homologados pelo Decreto nº 399.

Alvo de mais uma invasão, as informações que vieram do sítio Gazeta de Uruará, dão conta de que um grupo de pessoas invadiu o território pelo travessão do km 140 sul, a 20 km da Vila do Distrito Alvorada, com o intuito de extrair madeira e ocupar a terra com demarcação de lotes.

Deve ficar claro que essa é a política que o presidente ilegítimo disse que defenderia, e que, tomando posse, a bancada ruralista liderada pelo fascista Ronaldo Caiado (DEM-GO), está colocando em prática já nos primeiros dias de governo.

Ainda de acordo com a reportagem, os jagunços portavam armas de fogo e a retirada de madeira ocorre no período noturno, ação que acontece há cerca de 2 meses para ameaçar os povos indígenas e mostrar como será esse governo fascista.

Com a entrada de Bolsonaro não é possível mais acreditar em lutar institucionais, que com o golpe já foram destruídas, pois, como vimos em diversas ocasiões de nada serve aos trabalhadores a justiça burguesa. Assim, a declaração colhida com o Cacique Léo Xipaia, de que cerca de 200 índios irão se dirigir para a região para fechar a rodovia Transamazônica (BR-230) por causa da invasão, deve ser colocada como denúncia urgente em defesa desse povo e a população deve se organizar para a defesa física das terras junto aos povos indígenas.

O recurso levado para a Polícia Federal e a FUNAI (Fundação Nacional do Índio) pelo cacique, de nada servirá já que esses órgãos agora estão nas mãos de milicianos, latifundiários, grupos de extermínio da população que trabalha na terra. Os golpistas são inimigos do povo e estão se preparando para acabar com qualquer resistência que se apresente, inclusive invadindo gabinetes de deputados do PT no Congresso.