Problema político ou cognitivo
A esquerda pequeno-burguesa falsificou as posições do PCO para não ter que debater politicamente
1620px-Donald_Trump_(32758233090)
Trump foi banido das redes sociais | Arquivo.
1620px-Donald_Trump_(32758233090)
Trump foi banido das redes sociais | Arquivo.

A esquerdista revista Fórum publicou, na semana passada, uma matéria afirmando que o PCO estaria defendendo Donald Trump. O pretexto para a colocação, por si só absurda, foi o artigo irônico publicado pelo colunista deste Diário, Eduardo Vasco, chamado “Obrigado, Trump“.

A posição da revista, que foi reproduzida nas redes sociais também pelo seu editor chefe, Renato Rovai, mostra ou um grave problema de interpretação de texto e uma dificuldade de compreender ironias, ou simplesmente má intenção.

A repercussão da matéria foi tão grande que até mesmo órgãos da imprensa golpista deram destaque ao problema. A rádio Jovem Pan, por exemplo, dedicou cerca de dez minutos de sua programa, Morning Show, para analisar a posição do PCO.

O mais interessante é que o órgão golpista teve mais facilidade para entender o artigo do DCO do que a esquerdista revista Fórum. Um dos comentaristas do programa, Joel Pinheiro da Fonseca, afirmou que a posição do PCO é compreensível. Isso porque, segundo ele, como o PCO não é um partido de esquerda reformista, mas revolucionário, ele entende que a presença de Trump no regime político norte-americano é um fator de instabilidade política e portanto facilitaria a política revolucionária.

Logicamente, há outras considerações destorcidas feitas pelos comentaristas da Jovem Pan na tentativa de ridicularizar a posição do PCO ao iguala-la às posições da extrema-direita. Afinal, é natural que esse órgão, conhecido por suas posições hiper golpistas, procura manipular os argumentos para atacar a esquerda.

Mas no que diz respeito à consideração sobre a desestabilização do regime político, a ideia é correta. De fato, um revolucionário não busca se adaptar ao regime político falido como faz a esquerda pequeno-burguesa reformista. Essa adaptação é resultado da política que procura reformar o falido Estado capitalista e não destruí-lo.

Por essa concepção a esquerda, como faz Rovai, cai tão facilmente na propaganda da imprensa capitalista que nesse momento encontra-se numa luta com os trumpistas em torno do poder do Estado. É uma contradição real que existe, mas isso não significa de maneira nenhuma primeiro que os setores ditos “democráticos” e que agora conseguiram retomar o governo norte-americano são menos fascistas que Trump, isso está muito longe da realidade.

A contradição entre as duas alas da direita também não significa que os setores ditos democráticos não irão, caso necessário, apoiar um setor abertamente fascista no futuro, caso precise controlar a crise política.

O fascismo não é o discurso de Trump. O fascismo só se torno de fato uma ameaça a partir do momento em que encontra o apoio político dos grandes monopólios, que hoje apoiam Biden. E por isso mesmo, fortalecer esses monopólios é fortalecer o fascismo.

Nesse momento, o fascista Trump não significa nada mais do que um fator de desestabilização do regime político imperialista e portanto desses monopólios. Por isso a luta contra Trump.

A interpretação do comentarista da Jovem Pan, no entanto, é muito limitada. A posição do PCO não é apenas uma política de ocasião, ou seja, “apoiar Trump para desestabilizar o regime político”.

Na realidade não se trata de apoio nenhum a Trump, mas um problema de princípios políticos. A grande questão que nem Rovai nem os comentaristas da direita conseguiram entender é que não se deve ser a favor do poder ilimitado dos monopólios, que agem conjuntamente com o Estado, para cassar direitos e censurar.

Esse é o problema central. A censura e o banimento de Trump e seus apoiadores das redes sociais é um problema básico de direitos democráticos. E se dermos esse poder aos monopólios contra um elemento da burguesia, de extrema-direita, que foi presidente dos Estados Unidos, o que podemos esperar que farão contra a esquerda e os movimentos populares?

A defesa dos direitos democráticos deve ser um problema de princípios. Nem a direita, nem a esquerda pequeno-burguesa defendem esse princípio; a primeiro porque atua com base em manobras meramente oportunistas de acordo com seus interesses de classe capitalista, a segunda porque está influenciada pela propaganda dos setor mais poderoso da burguesia nesse momento e acredita que calar Trump e seus apoiadores é parte de uma luta contra o fascismo. Uma farsa, como explicamos acima.

Até mesmo o golpista jornal O Globo publicou artigo no último dia 21 com uma análise mais correta do que a da revista Fórum. O artigo mostra a suposta proximidade do PCO com os defensores de Trump nessas questões, mas ressalta que o PCO está muito distante da extrema-direita por ser o maior defensor dos direitos políticos e da candidatura de Lula em 2022 e do fora Bolsonaro.

Não sabemos exatamente qual o problema dos editores da revista Fórum que não entenderam a matéria do DCO. Podemos levantar algumas hipóteses Pode ser simplesmente caso de analfabetismo funcional, uma dificuldade de interpretação de texto. Se for apenas isso, nada como bons exercícios escolares para resolver a questão.

Mas como estamos falando de política, as causas provavelmente são outras. No afã de defender a posição bem pensante, ou seja, a posição que está aparecendo nos importantes jornais burgueses como Globo, Estadão, Folha de S. Paulo, The New York Times etc os editores da Fórum foram guiados pela histeria contra as posições do PCO e ao invés de debater com as ideias apelaram para a falsificação grotesca: falar que o PCO defende Trump.

O interessante é que essa mesma esquerda que fala tanto em “fake news” não perdeu tempo em difundir uma, mostrando a farsa. Inclusive a própria ideia do combate às “fake news” são parte desse mesmo sistema de censura na internet dos grandes monopólios. É bom aproveitar a oportunidade para explicar esse problema que também irá se voltar contra a esquerda. Querem dar poderes aos monopólios para censurar as “fake news” e o que são elas? Tudo o que não está dito pela imprensa capitalista. Por isso a Fórum se sente à vontade para falsificar a posição do PCO, já que está defendendo a posição oficial do imperialismo e sua imprensa e favor dos grandes monopólios.

Relacionadas
Send this to a friend