Siga o DCO nas redes sociais

Expressão da crise capitalista
Zona do Euro conclui 2019 com declínio na produção
Em 2020 não vai haver nenhuma melhoria, indica pesquisa; isso é resultado da crise estrutural do capitalismo, que vai se aprofundar no ano que chega
3150549592_314638b7fe_h
Expressão da crise capitalista
Zona do Euro conclui 2019 com declínio na produção
Em 2020 não vai haver nenhuma melhoria, indica pesquisa; isso é resultado da crise estrutural do capitalismo, que vai se aprofundar no ano que chega
Queda na produção na Zona do Euro foi a maior desde 2012. Foto: Ewan Kingston
3150549592_314638b7fe_h
Queda na produção na Zona do Euro foi a maior desde 2012. Foto: Ewan Kingston
Bruxelas, 2 de janeiro (Prensa Latina) Uma pesquisa da IHS Markit indicou que o setor da zona do euro terminou 2019 de maneira ruim, com contração de sua atividade pelo décimo primeiro mês consecutivo.
Além disso, a mesma pesquisa IHS Markit indica que o novo ano não trará nenhuma melhoria.

A leitura final do PMI (Manufacturing Purchasing Managers Index), preparada pela IHS Markit de fevereiro passado, ficou abaixo da marca de 50 pontos que separa o crescimento da contração.

O número de 46,3 pontos em dezembro foi inferior a 46,9 de novembro, embora superior a uma estimativa preliminar de 45,9.

Outro índice que mede a produção, que é adicionado a um PMI composto considerado um bom indicador de saúde econômica, caiu para 46,1 em relação ao recorde anterior de 47,4.

O economista do IHS Markit, Chris Williamson, disse que o setor da zona do euro relatou um fechamento complicado do ano de 2019, com a produção caindo em um ritmo não registrado desde 2012.

Além disso, o índice que mede novos pedidos caiu de 46,7 para 46,6 e, como ocorreu no ano passado, as empresas recorreram aos pedidos acumulados para permanecerem ativos.