Fraude eleitoral
De 27 de setembro a 15 de novembro, o Whatsapp baniu mais de mil contas por disparo em massa de propaganda eleitoral.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
15658378755d54ca339b837_1565837875_3x2_rt
o TSE mantém uma plataforma com o Whatsapp para denúncia de notícias falsas e disparo em massa. | Reprodução.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) informou, por meio de nota nesta quinta-feira (19), que o Whatsapp baniu mais de mil contas por disparo em massa de mensagens durante o processo eleitoral, de 27 de setembro a 15 de novembro. O período compreende o início da propaganda eleitoral até o primeiro turno das eleições.

A Justiça Eleitoral proíbe o disparo em massa. Em sua compreensão, tem o potencial de desequilibrar a disputa entre os candidatos e partidos políticos.

As contas foram denunciadas através de uma plataforma mantida pelo TSE e o Whatsap. Esta foi criada para combater a disseminação do que se compreende por “fake news”, isto é, mensagens consideradas de conteúdo falso.

O banimento de contas de Whatsap configura uma intervenção do TSE no processo eleitoral, no sentido de dificultar a divulgação de determinadas candidaturas e programas políticos. Não foi informado quais as contas foram banidas, vinculadas a quais campanhas, de quais partidos políticos e tampouco se sabe qual era o conteúdo político.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas