Siga o DCO nas redes sociais

Weintraub investe em demagogia
Weintraub, que corta dinheiro da educação, vai gastar com propaganda
Meses após assumir o cargo, Abraham Weintraub é considerado um zero à esquerda. Se não houve investimento em educação, os golpistas apelarão para a propaganda e a demagogia.
Weintraub investe em demagogia
Weintraub, que corta dinheiro da educação, vai gastar com propaganda
Meses após assumir o cargo, Abraham Weintraub é considerado um zero à esquerda. Se não houve investimento em educação, os golpistas apelarão para a propaganda e a demagogia.
Abraham Weintraub. Foto: Pedro França/Agência Senado
Abraham Weintraub. Foto: Pedro França/Agência Senado

Desde que a inépcia do Ministério da Educação (MEC) do – governo ilegítimo de Jair Bolsonaro (PSL) – foi escancarada através das revelações da comissão de acompanhamento da Câmara dos Deputados, a camarilha bolsonarista tem buscado mostrar serviço. O que muitos não sabem é que não se trata de realizar serviços, mas utilizar da demagogia para encobrir o desserviço que esse governo de boçais tem praticado. Segundo fontes, a ordem do ministro Abraham Weitraub é gastar para demonstrar que algo está sendo feito.

Nesta quarta-feira (27), em evento em São Paulo, foram feitas diversas críticas à gestão da pasta. No encontro, governadores e secretários de educação chegaram a falar em “ano perdido” para a área devido a atual gestão do MEC. “Os cargos mudam a toda hora, começamos a conversar com uma pessoa, de repente não está mais no ministério, não há continuidade”, disse o governador Paulo Câmara (PSB), do Pernambuco. “O Brasil vai pagar um preço alto por essa inoperância”, complementou.

Em reportagem ao jornal da burguesia, Estadão, Secretários também revelaram que não houve qualquer planejamento do MEC com os estados, sequer diálogo entre os entes. Vale lembrar que o governo federal tem a função de induzir as políticas. Por sua vez, o conselho de secretários de educação (Consed) é quem tem cumprido o papel e ajudado os estados a pensar e direcionar políticas.

No desespero, todas as secretarias do MEC estão sendo consultadas para saber onde é possível alocar dinheiro. Todavia, há uma enorme dificuldade de investimento justamente porque não foram desenvolvidos programas novos, nem mesmo políticas buscando a manutenção do que já existe. Resta-lhes, agora, investir na propaganda para cobrir o enorme desserviço prestado à população. O objetivo desse governo golpista, em todo caso, é claramente a destruição da educação pública. Nesse sentido, é visível que esse governo é altamente destrutivo e precisa ser imediatamente derrubado.