Ataques aos servidores
A votação do PL 529 tem sido adiada na ALESP em virtude de manobras parlamentares. Contudo, os trabalhadores não podem esperar que a ALESP derrote os ataques de Dória.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
plenário-alesp
A mobilização popular é a única forma de derrotar os ataques de João Doria (PSDB). | Reprodução.

O governo João Doria (PSDB) propôs um conjunto de medidas de ataque aos servidores públicos em âmbito estadual. O PL 529 permite que o governo extinga empresas estatais, retira recursos das universidades públicas estaduais (USP, Unesp, Unicamp) e órgãos de fomento à pesquisa científica (Fapesp) e autoriza a demissão de 5.600 servidores. Entre as empresas previstas para extinção, estão a Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU) e a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU).

A votação do projeto foi adiado seguidas vezes na ALESP, devido à falta de quórum, resultado da pressão social sobre os deputados estaduais. A dificuldade de tramitação do projeto do governo se dá devido às manobras políticas de parlamentares, que não têm consequências gerais para o avanço da luta contra os ataques dos tucanos aos servidores públicos. A votação apenas está sendo adiada, com o que o governo busca costurar um consenso político com sua base aliada .

É preciso deixar claro que manobras parlamentares não serão capazes de derrotar os ataques do governo João Doria. A esquerda pode obstruir e criar algumas dificuldades para o governo, que no final vai fazer uso da máquina política e dos recursos à sua disposição para construir a maioria necessária para a aprovação do PL. Em diversas ocasiões, como no caso da “reforma” da previdência estadual, as manobras parlamentares  da esquerda não foram capazes de impedir que se consumasse o violento ataque à aposentadoria dos servidores estaduais.

Os estudantes, professores e  os servidores públicos das diversas áreas devem promover uma ampla mobilização unificada pelo Fora Doria e contra o PL 529. Somente com a mobilização nas ruas é que será possível derrotar, de uma vez por todas, o ataque aos servidores públicos.

O governo neoliberal de Doria busca levar adiante a mesma política do governo Jair Bolsonaro (ex-PSL, sem partido). A política neoliberal destes dois governos significa uma implacável guerra contra os servidores e os serviços públicos. A reforma administrativa proposta pelo governo federal retira a estabilidade dos servidores, cria uma política de arrocho salarial permanente e vai ser responsável por milhares, senão milhões, de demissões pelo país. Além disso, Bolsonaro poderá perseguir e demitir os servidores que são opositores de seu governo.

A extinção de empresas estatais é um dos principais pontos das medidas propostas por Dória. Tudo o que for possível de ser entregue aos grandes capitalistas, incluindo os serviços de saúde e educação, serão entregues para que estes possam fazer negócios.

 

 

 

 

 

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas