O ensaio para as eleições
Buscando recuperar o terreno perdido para a extrema-direita bolsonarista, a direita tradicional e o centrão usam e abusam da demagogia.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Deputado Rodrigo Maia durante a sessão de votação s da reforma da previdência, na Câmara dos Deputados. Brasilia, 10-07-2019. Foto: Sérgio Lima/PODER 360
Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados | Créditos: Sérgio Lima/Poder360

O circo foi montado e as primeiras atrações já estão em cartaz. Buscando recuperar o terreno perdido para a extrema-direita bolsonarista, a direita tradicional e o centrão usam e abusam da demagogia. Essa situação burlesca, claramente voltada para as eleições, foi vista recentemente na votação da PEC do novo Fundeb, na Câmara, aprovada na terça-feira, 21.

Se pudéssemos dar um troféu de melhor atuação, este seria dado à Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados. Maia, que sempre se colocou contra a população, encenou um pequeno discurso onde se “emocionou” durante o discurso da deputada federal Professora Dorinha Seabra (DEM-TO), relatora do projeto. Ele discursou;

“A sua dedicação à educação e ao reconhecimento de que milhares de crianças ficariam sem escola… Se não fosse a sua determinação e o seu compromisso, nós não chegaríamos a esse momento, isso faz diferença para um país que nega a pobreza”

O show de horrores não para por aí. Citando uma frase do educador Anísio Teixeira, Tabata Amaral (PDT-SP) mudou seu repertório para atender aos interesses do Centrão e da direita tradicional.

“Educação é assim, vida no sentido mais autêntico da palavra”

Nesse diário, já denunciamos em diversas ocasiões a farsa que é a deputada. Tabata já disse que é a favor do fim do ensino superior gratuito.

Por sua vez, a União Nacional dos Estudantes (UNE) comemorou o resultado, classificando os parlamentares que votaram contra como “inimigos da educação”. O que, deveras, não está errado; faltou apenas destacar o seguinte fato: muitos que votaram a favor também são profundamente inimigos do povo e do ensino público.

Embora o espetáculo engane os incautos, é preciso ressaltar que boa parte dos artistas circenses, demagogos e políticos profissionais que atuaram na intenção de passar alguma empatia com os interesses populares, são conhecidos inimigos do povo. As conhecidas figuras do centrão e da direita tradicional sempre se colocaram contra a população. Recentemente, a questão do novo marco do saneamento, uma clara estratégia de privatização da água, pode dar mostras do caráter golpista e oportunista do centrão e da direita, onde todos votaram em peso contra a população, assim como o caso da previdência.

É preciso, portanto, denunciar essa evidente demagogia eleitoral da direita tradicional e do centrão que, segundo eles, teriam votado a “favor das criancinhas”, como visto no discurso de Maia. Buscando apoio para as próximas eleições, a direita e o centrão aprofundam os ataques em setores estratégicos para o capital privado e fingem apoio em outras pautas, como é o caso do Fundeb. Tudo, no fim das contas, se direciona para a contemplação da Frente Ampla.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas