Volta à era FHC: 207 mil crianças desnutridas no país do golpe

desnutricao

O golpe de Estado de 2016, conspiração articulada e financiada pela extrema-direita, a burguesia e o imperialismo, fez recrudescer no país uma série de mazelas e outros flagelos sociais, sendo o mais trágico e escandaloso a questão da miséria e da fome, que neste momento atinge milhões de famílias em todo o país, com casos verificados em todo o território nacional.

De acordo com dados do próprio governo, disponibilizados pelo Ministério da Saúde, através do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional (Sisvan), em 2016 (ano do golpe contra o governo eleito), foram identificadas “207 mil crianças menores de cinco anos com desnutrição grave no Brasil” (FSP, 16/07). Isso, no entanto, é somente uma pequena amostra da dramática situação de fome e miséria de uma expressiva parcela da população, pois de acordo com dados do IBGE, “9 milhões se brasileiros entre 0 e 14 anos do Brasil vivem em situação de extrema pobreza” (idem, 16/07).

Nos anos noventa, no governo do sociólogo de “esquerda” Fernando Henrique Cardoso, que atacou duramente os explorados e mergulhou o país no mais sombrio estado de calamidade social, onde a fome e a miséria campeavam por todo o Brasil, os números indicavam que brasileiros dos quatro cantos do país estavam morrendo de fome, sendo necessário a criação de programas emergenciais (Fome Zero/2003/Governo Lula) para minimizar a situação de barbárie social – principalmente a fome – vivenciada por milhões de almas humanas que atravessavam o dia em desespero, pois não tinham como se alimentar. Esse foi o legado do governo (FHC) das privatizações; da compra de votos no congresso para a emenda da reeleição; do ataque à indústria nacional e das dezenas de escândalos que nunca foram investigados pelo Ministério Público e pelos senhores juízes e Procuradores da Lava “vaza” Jato.

A situação fica ainda mais dramática neste período do ano, quando milhões de crianças e adolescentes em todo o país entram em férias escolares e não podem fazer a única refeição do dia, que é a merenda escolar fornecida pelas escolas públicas. Há milhares de relatos de mães em todo o país que entram em verdadeira situação de desespero durante o período de férias escolares por não terem um pão ou mesmo uma bolacha para oferecer aos filhos, tamanha a situação de miséria vivida por centenas de milhares de famílias brasileiras.

Este quadro de comoção e gigantesca dramaticidade social está novamente em franco desenvolvimento no país, sob o governo fraudulento, fascista e de extrema-direita do capitão miliciano Jair Bolsonaro, que juntamente com seu ministro da economia, o “Chicago Boy” Paulo Guedes, estão conduzindo o país para a barbárie e o abismo social. Neste contexto, o ataque às aposentadoria e ao conjunto de outros benefícios que a previdência pública garantia a milhares de cidadãos brasileiros em situação de vulnerabilidade social, é tão somente o começo do que ainda vem por aí, pois já estão sendo anunciadas outras medidas de duro ataque aos direitos sociais dos explorados, o que irá agravar ainda mais o dramático quadro da fome, da miséria e da tragédia social no país.