Triunfo dos genocidas
Bom desempenho das candidaturas do centrão, base de sustentação do governo de extrema-direita, é um aspecto a ser considerado na análise política.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
centrão
Centrão se fortaleceu nas eleições. | Foto: Reprodução.

O resultado das eleições de 2020 num primeiro momento despertou uma sensação de vitória em alguns setores da esquerda porque, de acordo com a análise otimista, Bolsonaro e seus apoiadores sairam enfraquecidos do pleito.

Mas esta conclusão não passa por uma segunda investigação mais metódica, avaliando o desempenho das candidaturas do famoso centrão, base de sustentação do governo de extrema-direita.

Triunfo dos genocidas

Na eleição não ganhou nem a esquerda nem a extrema-direita, ganhou quem tem menor popularidade, isto é, a direita, o “centrão”; que ficou fora da eleição presidencial. O bloco político que é sustentáculo do regime, que integra oligarquias locais e tem profundas relações com o imperialismo mundial, ganhou as eleições municipais; na maioria dos lugares, com larga vantagem.

São 752 municípios em todo país com prefeituras do DEM, segundo os dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). o PP tem 664 eleições fraudadas em primeiro turno, e o PSD, 630.

Grupo político é base de sustentação do regime golpista

É importante lembrar que essa direita “civilizada” formada pelo centrão estava falida até pouco tempo atrás, tanto que teve que organizar um golpe de estado em 2016 e perseguir o Partido dos Trabalhadores. Como em um milagre, essa direita cambaleante “ressuscitou” com força total, hoje como seus representante principal a figura desprezível de Rodrigo Maia, presidente da câmara dos deputados e principal aliado de Bolsonaro, afinal, já engavetou mais de dezenas de pedidos de impeachment, é o principal avalista do governo Bolsonaro.

Fundamental destacar que este é o grupo político mais dedicado à promoção de ataques contra os estudantes, lembrando que a derrota do bolsonarismo para a direita centrista mantém os estudantes sob ameaças da militarização das escolas, da reabertura e da destruição da educação pela via do ensino remoto.

É preciso superar as ilusões e formar um movimento nas ruas

Os estudantes devem superar as ilusões no sistema político golpista e confiar apenas na própria força e de suas mobilizações Nesse sentido, permitir que o projeto da burguesia se concretize é dar carta-branca para a morte generalizada da juventude.

Por isso que não podemos ficar parados, não num momento como esse. Agora é hora de nos mobilizarmos para pôr um fim ao governo genocida de Jair Bolsonaro e de seus lacaios golpistas. Finalmente, é preciso ressaltar a importância de retomada dos atos de rua pelo Fora Bolsonaro e pela retomada dos direitos políticos de Lula, pois é a pressão nas ruas que pode realmente mudar a correlação de forças.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas