Vitória da Fraude e do golpe: fora Bolsonaro

11804464-high-e1532948952382

Não foi Bolsonaro que venceu esta eleição, e nem foi esta eleição uma eleição normal. Venceram nestas eleições os poderosos interesses imperialistas, os bancos, empresários, a burguesia em geral, venceu a Globo, venceram os golpistas. Mas não venceram porque era a escolha do povo brasileiro, povo este que nunca é perguntado o que quer, eles não puderam sequer escolher.

O que ocorreu nestas eleições foi a vitória da fraude. Em primeiro lugar, foi a vitória da perseguição política contra Lula, condenado sem provas especificamente para não poder participar das eleições. Mas isso não foi suficiente. Lula lançou-se candidato e sofreu todo o tipo de abusos do TSE para que não pudesse levar adiante a sua candidatura e decidiu desistir. Até seu nome foi proibido em toda a campanha eleitoral. Finalmente, sob a pressão da burguesia, desapareceu completamente da eleição.

Depois, os atos arbitrários se sucederam como uma avalanche: cancelaram mais de 3 milhões de títulos de eleitores. Impôs novamente a campanha relâmpago, que dura menos de 40 dias. A maioria dos partidos não tinha praticamente tempo na tv. O TSE virtualmente acabou com a campanha de rua. Esta eleição mostra que, no Brasil, a urna eletrônica fala mais alto que o eleitor, é preciso denunciar, no Brasil existe voto de cabresto e existe fraude no sentido mais literal da palavra.

A imprensa controlou cada movimento dos candidatos, não fosse pela isenta rede Globo e seus asseclas, como a Folha e o Estado de S. Paulo, nem saberíamos que estava havendo campanha.

O tempo de televisão foi reduzido a meros 12 minutos a meio, a maior parte do povo foi negado mesmo o desprazer de ver os candidatos da direita mentir ao povo.

A violência tomou conta das ruas, intimidando o eleitor de esquerda.  A polícia, orientada pelos TRE’s apreenderam toneladas de material.

O PT, erroneamente, está reconhecendo uma derrota onde deveria estar denunciando o jogo sujo, a  desonestidade e conspiração.

Tudo isso fica cristalino quando a imprensa golpista, mesmo odiando o PT, reconhece que Lula venceria qualquer candidato nesta eleição, sua cassação foi o maior golpe na tal “festa da democracia”, bem pode ter tornado-a seu velório.

É preciso dizer neste momento, e para que todos ouçam, Bolsonaro é um presidente ilegítimo, surgido de uma eleição fraudulenta, e precisa ser contestando nas ruas pelo povo!

As eleições foram uma farsa orquestrada pelos que realizam o golpe de 2016 que derrubou Dilma Rousseff. É uma etapa importante do golpe que se realiza com a imposição ao País de um golpista que tem a aparência de ter sido eleito pelo povo. A primeira etapa da luta é intensificar a denúncia desta fraude e desta farsa monstruosa.

Fora Bolsonaro e todos os golpistas!

Abaixo a fraude eleitoral!