“Herói do povo”
Setores da esquerda correram para defender o ex-ministro do DEM
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
mandetta-golpe-dilma
Mandetta comemorando o golpe em Dilma |

Nem bem Bolsonaro havia demitido o então ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta, elementos da esquerda pequeno-burguesa correram para defender o agora ex-ministro. A chuva de elogios foi tão grande, que para alguém desavisado, até parecia que o político do DEM era um nome da esquerda perseguido pelo maléfico presidente da República.

Citemos agora algumas declarações de amor de esquerdistas a Mandetta. O ex-candidato do Psol a presidência, Guilherme Boulos, depois de mostrar os defeitos do ex-ministro como ter sido a favor da expulsão dos médicos cubanos e ser representante dos planos de saúde, afirmou que “é incrível que tenha perdido o cargo por suas virtudes”. Boulos reconhece assim “virtudes” no ministro bolsonarista do DEM. Ele não explica quais, mas podemos deduzir que para Boulos Mandetta estava trabalhando seriamente para combater a pandemia.

O colega de partido de Boulos, Marcelo Freixo, nos ajuda a entender quais as “virtudes” de Mandetta: ele “cai porque enfrentou a pandemia com responsabilidade, e Bolsonaro não tolera isso”.  Para Freixo, o ministro do DEM estava enfrentando a pandemia, mais ainda, estava enfrentando com “responsabilidade”. Fica até a dúvida se Freixo irá convidar Mandetta para entrar no Psol, tamanho é o elogio.

O PCdoB também não ficou para trás. Jandira Feghali e Luciana Santos disseram que “Mandetta respeitava a ciência e o obscurantismo”. Quem lê os tuítes das duas representantes do PCdoB tem a impressão Mandetta era ministro de Bolsonaro por acaso. Por que será que Bolsonaro convidou um amante da ciência para fazer parte de seu governo?

E por fim, vale citar o tuíte de Fernando Haddad. Mais do que elogio, o ex-candidato a presidência pelo PT fez uma declaração emotiva sobre a demissão: “Em sua despedida, Mandetta defende a vida, o SUS e a ciência.” Incrível que para fazer demagogia eleitoral e seguir a política ditada por setores da direita, Haddad chega ao cúmulo de elogiar Mandetta por tudo aquilo que ele não é.

O ex-ministro não é defensor do SUS. Pelo contrário, qualquer um sabe que Bolsonaro o colocou ali pois representa os planos de saúde. Mandetta tinha como principal missão não o combate a pandemia mas a destruição do SUS em benefício dos capitalistas da saúde privada.

Mandetta não é “a favor da vida”. A não ser que seja defensor da vida no sentido da extrema-direita anti-aborto. Isso sim. Ele é um dos ativistas contra o direito das mulheres, inclusive estando na linha de frente, quando foi secretário de Saúde de Campo Grande, da perseguição de 10 mil mulheres em 2008 quando uma clínica de aborto foi fechada.

A ciência passa muito longe de Mandetta e de toda a extrema-direita. Sua política não se diferencia da de Bolsonaro no fundamental, apenas na propaganda pró-isolamento social. Que no final das contas era tudo o que Mandetta podia oferecer. A ciência verdadeira: construir leitos, hospitais, fornecer materiais de segurança, comprar respiradores, fazer testes em massa para identificar a doença, nada disso estava previsto.

A defesa por parte da esquerda de um elemento da extrema direita revela novamente a total falta de política e a demagogia eleitoral. Seguindo exatamente aquilo que dizem os jornais golpistas, a esquerda correu em defesa de Mandetta para aparecer bem na foto.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas