Vídeo: “15 de agosto todos a Brasília para o registro da candidatura Lula”, convocou Rui Costa Pimenta

brasília

Da redação – Abaixo o trecho da Análise Política da Semana na Causa Operária TV, onde o presidente nacional do PCO, Rui Costa Pimenta, explica sobre a importância de construir um ato-monstro no dia 15 em Brasília. Para isso, é preciso um trabalho de mobilização e propaganda assumido pela militância, organizando diretamente as campanhas financeiras de todos aqueles que defendem a luta contra o golpe, partidos, sindicatos, trabalhadores em geral para derrotar o golpe, libertar Lula e garantir sua candidatura à presidência.

Leia à seguir parte da declaração do companheiro Rui explicando como agir neste momento de luta política intensa:

“Nós temos que explicar para as pessoas que isso só pode ser feito através de uma ampla solidariedade, de um esforço coletivo. Nós não estamos levando gente para o ato para fazer figuração. Da nossa parte não tem isso daí. Nós não estamos contratando ninguém para levar para o ato.

A direita fala que a esquerda dá “um sanduíche de mortadela”. Não sei se alguém vai para Brasília se lhe derem um “sanduíche de mortadela”. Mas, enfim, a pessoa estaria recebendo algum prêmio para ir para Brasília. Não é o nosso caso. Nós temos que pedir a cada uma das pessoas, cada qual conforme suas possibilidades, logicamente, que as próprias pessoas que vão contribuam para levar gente. Nós, PCO e o movimento de luta contra o golpe, não temos dinheiro para promover uma mobilização como essa. Não adianta pensar que nos dos Comitês de Luta Contra o Golpe vamos assinar um cheque, alugar cem ônibus e mandar o pessoal para Brasília. Isso é impossível de acontecer. Nós temos que recolher contribuições. Nós temos que contar e nos apoiar, sobre a solidariedade das pessoas que concordam com aquilo que nós estamos fazendo: a pessoa concorda que o Lula deve ser candidato, deve ser tirado da cadeia, então, dá uma contribuição. ‘Pode dar bastante, dá bastante’. ‘Pode dar pouquinho, dez, quinze reais, dá dez, quinze reais’. Dê o máximo possível, mas cada um de acordo com as suas possibilidades.Tá certo? E assim, nós vamos criar um movimento que tem força. A força do nosso movimento, consiste justamente nessa solidariedade básica entre todos os integrantes do movimento.

Vocês imaginem que, levar cinco mil pessoas para Brasília, é levar aproximadamente cem ônibus para Brasília de diversos lugares do país. Bem, logicamente que nós e os companheiros de Brasília vamos fazer um plano para levar muitos companheiros ‘de’ Brasília para o ato. Tem que pensar nesse problema – nós temos que ter consciência do que estamos fazendo, temos que trabalhar muito, isso, sem falar que, os militantes do PCO e os militantes mais ativos do Comitê, nos últimos doze meses, quinze meses, se deslocaram diversas vezes pelo Brasil para fazer atos públicos de defesa das suas posições.”

Veja o vídeo na íntegra: