Confusão política
Em reunião da executiva nacional ampliada, a CUT elabora uma série de resoluções que propõe defender os trabalhadores e até derrubar Bolsonaro, mas com a política de ficar em casa
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Desemprego-fila
As filas de desempregados aumentam com a crise. Imagem: reprodução. |

No dia 6 de maio, a Central Única dos Trabalhadores (CUT) realizou uma reunião da Executiva Nacional ampliada com as direções das CUT’s Estaduais, Confederações e Ramos filiados, para elaborar uma política para a situação atual.

Na reunião foram elaboradas diversas resoluções, mas revela uma enorme confusão política de como organizar a luta e um programa próprio dos trabalhadores. Isso porque as diversas deliberações entram em contradição com o que está ocorrendo na prática nos sindicatos e a situação dos trabalhadores.

Separamos o parágrafo abaixo para entrar no argumento:

É hora de ficar em casa para defender com todas as energias o emprego e a renda da classe trabalhadora e da população mais vulnerável. É hora de ficar em casa, no entanto, milhões de trabalhadores e trabalhadoras da indústria, comércio e serviços ainda estão trabalhando, e, as nossas entidades e dirigentes devem exigir a máxima proteção, com o fornecimento adequado de EPIs, produtos de higiene e máscaras para proteger vida de todos.”

Não há a mínima possibilidade de defender alguém ou alguma categoria ficando em casa. Ainda mais na situação atual onde os patrões e seus representantes políticos estão se aproveitando da crise para retirar direitos dos trabalhadores e intensificar a exploração. Fica evidente que há uma enorme confusão sobre os métodos de luta e qual o papel de sindicatos e seus dirigentes diante do agravamento da crise, incluindo o coronavírus.

Como organizar e defender os trabalhadores com os sindicatos fechados e seus dirigentes em casa? ou oferecendo suas sedes para governadores da direita para servirem de locais para receber contaminados? É claro que os trabalhadores estão abandonados à própria sorte, pois não há sindicalistas indo nos setores de trabalho e nem sindicatos abertos para receber os trabalhadores. e muito menos organizando mobilizações e greves para impedir demissões, exigir condições reais de trabalho e mesmo o direito ao confinamento.

Outro ponto que chama a atenção é o método de luta que será impulsionado nesse período. Veja o parágrafo abaixo retirado das resoluções apresentadas:

Nesse sentido, é preciso intensificar nosso trabalho de pressão virtual junto aos deputados e senadores para defender os direitos da classe trabalhadora. A CUT está acompanhando atentamente essas iniciativas e vai elaborar campanhas específicas de pressão virtual no parlamento.”

Esse método de “pressionar” os parlamentares, e agora nem seria presencialmente, mas através de telefonemas, emails, tuitaços ou bater panelas nas varandas se mostrou totalmente ineficaz e levou a classe operária para uma sequência enorme de derrotas. Podemos elencar uma pequena parte dessas profundas derrotas, como a reforma trabalhista, reforma sindical, reforma da previdência, cortes na educação e por aí vai.

Foram inúmeras derrotas devido a política de não mobilizar os trabalhadores indo nas bases, fábricas e bairros populares denunciando e apontando um programa de luta. Tanto é assim, que o governo Bolsonaro e a direita no Congresso Nacional está se aproveitando do recuo das entidades de esquerda, partidos políticos, movimentos sociais e sindicatos para realizar os ataques que não conseguiram até o momento.

Não há a menor possibilidade de defender os trabalhadores, a vida, os empregos e derrotar o governo Bolsonaro sem organizar os trabalhadores e ir às ruas. Essa contradição evidencia que falta a CUT e demais sindicatos um programa consequente de lutas para os trabalhadores. O sindicatos são serviços essenciais para os trabalhadores e devem ser abertos para organizar a luta dos trabalhadores contra Bolsonaro e a direita golpista.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas