Siga o DCO nas redes sociais

Interior de SP
Vereador fascista de Araraquara apoia ditadura militar nas escolas
Chediek apoia a criação de escolas cívico-militares, projeto de Bolsonaro
escolas_militarizadas-1200x720
Interior de SP
Vereador fascista de Araraquara apoia ditadura militar nas escolas
Chediek apoia a criação de escolas cívico-militares, projeto de Bolsonaro
Escolas militares são passo para a imposição de uma ditadura fascista no País. Foto: Reprodução
escolas_militarizadas-1200x720
Escolas militares são passo para a imposição de uma ditadura fascista no País. Foto: Reprodução

Da redação – O vereador fascista Elias Chediek (MDB) apresentou o Requerimento 1369 que propõe uma moção de apoio pela Câmara Municipal de Araraquara ao projeto do governo Jair Bolsonaro de “fascistização” e implantação da ditadura militar nas escolas, batizado cinicamente de “Escolas Cívico-Militares”.

A direita fascista de Araraquara, encabeçada  pelo movimento Direita São Paulo, reciclado como Movimento Conservador-Araraquara (ligado ao PSL, partido de Bolsonaro), e seus representantes políticos tradicionais na Câmara (MDB-PSDB) buscam se articular e se mobilizar para que o governo Bolsonaro implemente escolas militares na cidade.

Os sindicatos de professores da cidade, a APEOESP, o SISMAR, os movimentos sociais, as organizações democráticas, os partidos de esquerda e as organizações estudantis e de luta da juventude devem convocar uma ampla mobilização nas escolas, nas universidades e nas ruas contra esse projeto ditatorial nas escolas.

As escolas militares instituem um regime de terror e significam a cassação de todos os direitos democráticos da juventude e dos professores e a implantação de uma verdadeira ditadura militar.  O objetivo do governo fascista de Bolsonaro é impedir o desenvolvimento do censo crítico, do debate livre e democrático nas escolas, cassar a liberdade de cátedra e a liberdade de expressão, bem como, por fim, impedir a mobilização política dos estudantes e professores e a participação política de amplos setores da população nas questões fundamentais do país.

Trata-se de uma fascistização das escolas, passo necessário para implementar um regime político fascista e ditatorial.