Verdadeira ajuda humanitária: chegam na Venezuela 7,5 toneladas de remédios comprados da Rússia

Russian President Putin meets with his Venezuelan counterpart Maduro outside Moscow

Da redação – Chegaram hoje (21) na Venezuela 7,5 toneladas de remédios provenientes da Rússia, comprados por meio de uma parceria entre os governos venezuelano e russo.

O anúncio foi feito nesta quinta-feira pelo presidente legítimo do país, Nicolás Maduro, após uma reunião no Palácio de Miraflores com representantes de Rússia, de Cuba e da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), bem como do setor da saúde.

Constam também no pacote enviado da Rússia 108.428 unidades de remédios, material cirúrgico e equipamentos para o atendimento médico. Dentre os medicamentos, estão: paracetamol, ampicilina, diazepam, digoxina, dopamina, solução de cloreto de sódio, gentamicina, hidrocortisona, lidocaína, penicilina, salbutamol.

Maduro lembrou que o governo venezuelano paga de forma permanente, a cada semana, pelos carregamentos de remédios que chegam à Venezuela vindos de parceria com outros governos.

A Rússia é um dos governos que reconhece a legitimidade de Maduro e um de seus maiores aliados, fazendo diversos acordos de cooperação que ajudam a Venezuela a sobreviver do bloqueio econômico imposto pelos países imperialistas, que já roubaram 30 bilhões de dólares do país caribenho e agora, cinicamente, oferecem apenas 20 milhões de dólares em suposta “ajuda humanitária”.

Além disso, calcula-se que os EUA estão tentando enviar somente 90 toneladas de “ajuda humanitária” à Venezuela, enquanto que, na semana passada, Caracas recebeu 933 toneladas de remédios de Rússia, China e Cuba e, esta semana, recebe mais 300 toneladas de ajuda da Rússia. Percebe-se, obviamente, que a intenção do imperialismo não é enviar ajuda humanitária à Venezuela, porque os países amigos da Venezuela já estão fazendo isso. A intenção é derrubar Maduro, nem que seja por uma invasão, como reconheceu o próprio presidente dos EUA, Donald Trump.

Nesse sentido, Maduro afirmou que, se há alguma ajuda humanitária para a Venezuela, esta sendo sendo enviada por governos amigos, como o da Rússia, e que o imperialismo não leva ajuda humanitária a nenhum lugar, o que leva é a guerra, o saque e as bombas.