Venezuela contra o coronavírus
Nicolás Maduro, anunciou que seu governo assinou “documentos de confidencialidade” para testar as vacinas da Rússia e de Cuba em pacientes venezuelanos.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
FILE PHOTO: Venezuela's President Nicolas Maduro speaks during a news conference at Miraflores Palace in Caracas, Venezuela, March 12, 2020. REUTERS/Manaure Quintero/File Photo
Nicolás Maduro, presidente da Venezuela | Foto: reprodução

Nesse domingo, 6, o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou que seu governo assinou “documentos de confidencialidade” para testar as vacinas da Rússia e de Cuba em pacientes venezuelanos.

“Nossa prioridade é a vacina. Com os russos, com os cubanos, com os chineses já assinamos os documentos de confidencialidade e a qualquer momento vamos anunciar o início dos testes das vacinas russa e cubana na Venezuela, em pacientes venezuelanos”, afirmou Maduro, durante ato em Caracas.

Ainda segundo o mandatário venezuelano, “essa é a prioridade, a vacina, começar a trabalhar nisso para que a gente, no médio prazo, possamos ter a vacina sem rodar, sem demagogia”.

Maduro destacou ainda que o fato de Donald Trump, presidente dos Estados Unidos, ter dito que o país norte-americano deve começar a campanha de vacinação no fim de outubro, denota uma clara estratégia eleitoral.

“Quando dizemos que temos a vacina, começa a ser aplicada naquela data, a vacina começa a ser aplicada com segurança, isso é uma prioridade”, ratificou.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas