Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Venezuela's re-elected President Nicolas Maduro adresses the audience during the ceremony to receive a certificate given by the National Electoral Council (CNE), confirming him as winner of Sunday's election, in Caracas, Venezuela May 22, 2018. REUTERS/Marco Bello
|

Caracas, AVN – A República Bolivariana da Venezuela rechaçou nesta terça-feira as medidas unilaterais dos Estados Unidos (EUA) ao querer controlar as contas bancárias que estão em nome do Banco Central da Venezuela (BCV) e do governo venezuelano, como parte do golpe de Estado que está sendo executado pela nação norte-americana.

Em nota, a Venezuela considerou esta ação como um “roubo descarado a uma nação soberana dos recursos destinados ao bem-estar de seu povo, revelando mais outra aresta do plano do golpe de Estado ativado diretamente pela Casa Branca, com o objetivo de derrubar o Presidente Nicolás Maduro e apoderar-se dos recursos financeiros e naturais do Povo da Venezuela”.

Caracas informou que serão tomadas medidas legais correspondentes a estas ações e assim “esta inocultável obsessão imperial por tomar o controle dos recursos petroleiros, minerais e financeiros”.

Nesta segunda-feira, o Departamento de Estado dos EUA aplicou sanções unilaterais contra a Venezuela, desta vez dirigida à filial da Petróleos de Venezuela (PDVSA), nos Estados Unidos, Citgo.

Veja abaixo o comunicado na íntegra:

Comunicado

A República Bolivariana da Venezuela rechaça veementemente as medidas unilaterais, arbitrárias e ilegais anunciadas pelo governo de Donald Trump com o fim de tomar controle das contas bancárias em nome do Governo venezuelano e do Banco Central da Venezuela, abertas em instituições financeiras localizadas nos Estados Unidos.

Não há outra forma de qualificar esta ação que não seja o roubo descarado a uma nação soberana dos recursos destinados ao bem-estar de seu povo, revelando mais outra aresta do plano do golpe de Estado ativado diretamente pela Casa Branca, com o objetivo de derrubar o Presidente Nicolás Maduro e apoderar-se dos recursos financeiros e naturais do Povo da Venezuela.

Ações abusivas como estas devem alertar a comunidade internacional sobre a insegurança jurídica do sistema financeiro estadunidense, em que as regras do jogo são violentadas pelo próprio Governo, sem contar com mecanismos do devido processo, nem garantias mínimas para o capital e investimentos internacionais.

Este ato de pirataria da Administração Trump, se soma à crescene lista de desacertos que protagonizou seu bizarro governo em relação as suas obrigações internacionais em matéria comercial, ambiental, nuclear e agora financeira, conduta que lhe desautoriza gravemente em seu bufo empenho de reordenar a geopolítica internacional por capricho e pela força.

O Presidente da República Bolivariana da Venezuela, Nicolás Maduro, avaliará e tomará as medidas legais correspondentes para enfrentar esta nova agressão e inocultável obsessão imperial por tomar o controle dos recursos petroleiros, minerais e financeiros da Venezuela, o Povo venezuelano seguirá firme na defesa de sua Constituição, que é a principal garantia de sua democracia, de sua soberania e de sua liberdade.

Caracas, 29 de janeiro de 2019

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas