Venezuela: militares desertores receberam ofertas de 20 mil dólares, diz ministro da Defesa

Fuerza-Armada-Nacional-Bolivariana-rechaza-de-manera-radical-las-amenazas-de-Rex-Tillerson

Caracas, AVN* – O ministro da Defesa da Venezuela, Vladimir Padrino López, informou que os mais de 100 membros da Guarda Nacional Bolivariana (GNB) que desertaram receberam ofertas de até 20 mil dólares para trair a pátria.

“Contabilizamos mais de 100 guardas nacionais entre oficiais, muito poucos oficiais realmente, que passaram a fronteira com expectativas que lhes ofereceram até US$20 mil. Para nós, nunca foram soldados, um soldado nunca poderá ser um mercenário, um soldado atende ao código de princípios, de atuação ética no exercício de sua profissão”, afirmou Padrino López em entrevista à jornalista da Telesur, Madelein García, divulgada nesta quinta-feira em sua conta no Twitter.

Padrino López afirmou que ausência de jovens que cruzaram a fronteira por falsas promessas não representam um vazio nas fileiras das forças armadas venezuelanas.

“Esses que passaram para lá com uma promessa que já escutamos de 20 mil dólares, são jovens enganados, e para nós não faz nenhuma falta, nunca foram soldados”, disse.

O ministro comentou que para ser um soldado não basta ter somente um uniforme. “Soldado é aquele que tem códigos internos, princípios, valores, patriotismo e vontade de defender a Venezuela, amor pela pátria”.

“Poderão ser mais, poderão ir os que quiserem, mas aqui nas forças armadas há uma realidade, há uma coesão, uma unidade, um patriotismo, esclareceu sobre a deserção de membros da GNB, acrescentando que nos quartéis prevalece o sentimento patriótico e nacionalista dos militares.

Na última quarta-feira o portal de notícias “La Política Online”, revelou que o vice-presidente dos Estados Unidos (EUA), Mike Pence, repreendeu o presidente da Assembleia Nacional (AN) em desacato, Juan Guaidó por seus fracassos, entre eles, não ter obtido apoio da Força Armada Nacional Bolivariana (Fanb).

* Os artigos reproduzidos não expressam necessariamente a posição do Diário Causa Operária e do Partido da Causa Operária.