Defesa contra imperialismo
Maduro anunciou a formação de um Conselho Militar, Científico e Tecnológico, com a parceria entre Venezuela, Rússia, China, Irã, Cuba e outros países para combater o imperialismo
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
maduro exercito venezuela
Nicolás Maduro, organizado com as forças militares venezuelanas | Foto: Reprodução

Nicolás Maduro anunciou a ativação de um Conselho Militar, Científico e Tecnológico, com a parceria entre Venezuela, Rússia, China, Irã, Cuba e outros países para criar um sistema de autodefesa independente e capaz de reagir aos ataques do imperialismo. Todos esses países sofrem agressões recorrentes e criminosas, sejam econômicas ou militares, das grandes potências imperialistas. Assim, diferente do que defende a direita golpista fracassada da Venezuela, o Conselho é de suma importância não só para tais países, como para todos os povos oprimidos, que necessitam de uma união mundial para reagir contra o imperialismo.

A Venezuela, além das sanções, das tentativas de golpes e do embargo econômico – que já custou bilhões de dólares ao País, foi invadida por mercenários diretamente enviados pela inteligência norte-americana, e é constantemente ameaçada de uma invasão militar. Um bom exemplo dessa situação crítica foi a visita de Mike Pompeo, Secretário de Estado dos Estados Unidos, aos países que fazem fronteira com a  Venezuela, nos quais colocou, abertamente, sua intenção de iniciar uma guerra preventiva contra a Venezuela. Outro caso, ainda mais recente, foram os conflitos diplomáticos do País com a Espanha, essa, que também colabora para a invasão por baixos dos panos, como muitos outros países ratos do imperialismo da União Europeia que também não reconhecem o governo legítimo de Maduro. 

Portanto, também instauradas as ameaças de uma invasão na fronteira com a Colômbia pelo patrocínio dos EUA, Maduro declarou:

“ Para se preparar para as agressões de Iván Duque, que da Colômbia prepara mil mercenários para atacar os postos militares da fronteira ”. Ele acrescentou: “Vamos ativar [em cerca de duas ou três semanas] o Conselho Militar, Científico e Tecnológico que vai dar a independência do sistema de armas à Venezuela, com assessoria da Rússia, China, Irã, Cuba. e muitos outros países do mundo ”

Cuba já aguenta o embargo econômico há mais de 50 anos. Na última Comissão Econômica para a América Latina, junto com a Venezuela, se colocou contra o unilateralismo e as medidas coercitivas dos países imperialistas, principalmente dos EUA. Miguel Diaz-Canel, presidente de Cuba, denunciou, na mesma reunião, que o bloqueio histórico se trata de um ato de barbárie humana cuja finalidade é exclusivamente esmagar o povo cubano. 

A situação não é diferente no Irã, onde o imperialismo assassinou o general Qassim Soleimani para impedir o avanço do nacionalismo e do desenvolvimento tecnológico iraniano. Além disso, também foram impostos embargos e sanções contra o armamento do País persa, acusado de terrorista e assassino, mesmo tendo matado infinitamente menos do que a própria tecnologia mortífera dos países imperialistas. 

Em torno da Rússia, a OTAN promove exercícios militares na Ucrânia, na Polônia, nas regiões bálticas, e agora, em especial, organiza e fortalece o golpe de estado na Bielorússia, região fronteira com o País e estratégica para a investida do imperialismo contra a Rússia. Na China, percebe-se o mesmo nas manifestações fascistas em Hong Kong, nos exercícios militares no sul da China e no armamento de Taiwan. Sem contar com a guerra comercial para impedir o avanço chinês.

Nesse sentido, com inúmeros outros exemplos por todo o mundo, a crueldade da fase decadente do capitalismo progride, sobretudo na atual crise, para organizar a carnificina e o esmagamento da classe trabalhadora. Vale ressaltar, nesse âmbito, que todos esses países, mesmo tendo que lidar com tais ataques frenéticos, são exemplos na luta contra a crise sanitária e o coronavírus. Rússia e Cuba, por exemplo, já desenvolveram suas próprias vacinas avançadas para combater o vírus, a Venezuela, por sua vez, tem o menor número de mortes da América Latina e todos os doentes hospitalizados no sistema público de saúde.

Fica claro que os ataques do imperialismo são, não apenas contra o governo de cada um desses países, mas contra o próprio progresso da humanidade. Como o regime capitalista não se sustenta mais, cada vez mais a classe operária, em aliança com todo o povo, coloca-se contrária a sua política genocida e destruidora. Por isso, a defesa contra esse mórbido e diabólico monstro é fundamental para a defesa da independência dos povos e para o desenvolvimento humano.

“Vamos instalar esse Conselho Científico, em duas ou três semanas, com todos os recursos e o apoio logístico, físico e institucional (…) vai voar alto e será de grande utilidade para a tecnologia, a ciência e a indústria militar. O país e o mundo vão ficar impressionados”

A iniciativa deve ser tomada e defendida por todos os povos oprimidos. Todo apoio ao Conselho Militar, Científico e Tecnológico contra o imperialismo. Pelo armamento mais tecnológico e potente da classe trabalhadora. Todos contra o imperialismo e os lacaios da burguesia parasitária.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas