Venezuela investe no reimpulso produtivo apesar das agressões

VENEZUELA-BOLIVAR-MADURO
Caracas, 7 mar (Prensa Latina) – O Executivo venezuelano investe hoje no reimpulso da indústria básica apesar das constantes agressões para sua desestabilização econômica, de acordo com os mais recentes anúncios do presidente da nação, Nicolás Maduro.

 

Em visita ao Complexo Siderúrgico de Guayana, no estado de Bolívar, o governante adiantou nesta quarta-feira novas medidas para fortalecer o conglomerado estatal, considerado eixo fundamental para a diversificação produtiva.

Como parte das iniciativas, o chefe de Estado ordenou reavaliar os contratos coletivos da entidade, dedicada ao processamento de recursos mineiros, para uma melhor estabilidade trabalhista, segurança, transporte e tudo que for necessário para o desempenho das atividades, apontou.

Maduro referiu-se também à entrada em funcionamento para outubro deste ano da segunda linha de granulado de minério de ferro (material concentrado de ferro) da empresa Ferrominera del Orinoco, com o objetivo de produzir 3 milhões e 300 mil toneladas deste material anualmente.

Este reimpulso, financiado pelo Fundo Chinês, permitirá exportar granulado de ferro e aumentar a capacidade de fabricação de briquetes – elemento utilizado para produzir aço -, estruturas metálicas, pinos, linha branca, entre outras.

Na jornada, o governante destacou a assinatura de novos convênios com a Palestina para a extração e exploração de diamantes, bem como outras 154 alianças com organizações da mineração artesanal venezuelana no município Cedeño, Caicara del Orinoco, estado de Bolívar.

Além disso, o chefe de Estado aprovou 16 milhões de euros para a ativação do transporte de bauxitas na Corporação Venezuelana de Guayana Bauxilum e reiterou seu compromisso com a classe operária. ‘Investimos para ampliar as capacidades. O caminho do país é o trabalho, o crescimento para construir a base econômica da prosperidade futura’, afirmou nesse sentido.