Venezuela derrota sabotagem imperialista ao sistema de energia elétrica

Maduro

Após a sabotagem do sistema de energia elétrica provocada por agentes do imperialismo, no último dia 7, o vice-presidente de Comunicação, Cultura e Turismo, Jorge Rodríguez, comunicou, na quarta-feira (13), através da Agencia Venezuelana de Notícias, que o sistema já foi 100% restabelecido. A informação foi dada em uma entrevista coletiva no Palácio de Miraflores.

Ainda segundo Rodríguez, “alguns problemas permanecem em certas áreas, relacionados a transformadores que foram sabotados”, como o caso dos municípios de Baruta e Hatillo, no estado de Miranda, destruídos por um incêndio provocado em uma subestação, ocorrida no último domingo. Todavia, o serviço já foi cerca de 70% recuperado nessas localidades.

O ministro de Comunicação também condenou o golpista Juan Guaidó por ter convocado uma série de ações visando prejudicar o restabelecimento do sistema elétrico. Rodríguez qualificou o ataque cibernético perpetrado pelo governo dos EUA como um ataque – genocida – contra o povo venezuelano. Vale salientar que, o ataque foi realizado contra o Sistema de Controle Automatizado (ARDA) de Guri, localizado no estado de Bolívar. O ministro ainda afirmou: eles tentaram destruir a pátria venezuelana, através do mais atroz dos crimes, um verdadeiro genocídio tentado com a suspensão do serviço de energia elétrica”.

É preciso deixar claro que o ataque ao sistema de energia elétrica é apenas uma das sabotagens dentre muitas outras realizadas. Nesta mesma quarta-feira, foi registrado um novo ataque contra as instalações do cinturão petrolífero do Orinoco, a maior reserva bruta do planeta. A informação foi dada pelo ministro de Petróleo, Manuel Quevedo, através de seu Twitter. Segundo o ministro, houve uma explosão no patio de tanques da empresa Petro San Félix. Felizmente, o atentado não deixou vítimas.

A patente derrota malograda pelo imperialismo após o ultimato dado ao – governo legítimo de Maduro – provocou efeitos antagônicos entre a massa venezuelana apoiadora do governo e o grupo golpista de Washington. Os golpistas, entretanto, recorrem ao método da sabotagem – prática comum do imperialismo – provocando ataques estruturais contra o governo.

Por outro lado, a agudização dos conflitos tem elevado o moral e a consciência dos que estão dispostos a defender o governo de Nicolás Maduro e a Venezuela dos ataques imperialistas até as últimas consequências. É preciso, intensificar o apoio à luta do do povo venezuelano pois, dadas as experiencias acumuladas no decurso histórico do imperialismo, os ataques podem e provavelmente irão aumentar na medida em que a crise do capitalismo aumenta e as investidas contra o povo venezuelano se desmantelam.