Venezuela começou a prender os golpistas, falta Juan Guaidó

Venezuelan opposition leader Juan Guaido talks to the media outside Generalisimo Francisco de Miranda Airbase in Caracas

Na noite de quarta-feira (dia 8), o governo de Nicolás Maduro deu um passo importante na luta contra os golpistas fantoches do imperialismo. O vice-presidente da Assembleia Nacional, Edgar Zambrano, foi preso por agentes do Sebin (Serviço Bolivariano de Inteligência). A justiça havia emitido na última semana uma ordem de prisão contra Zembrano, acusado de “traição à pátria”.

Pertencente ao partido da direita, Ação Democrática, Zambrano era o número dois de Guaidó e foi preso no ninho das cobras, ou seja, na sede da sigla golpista. Logo após a tão esperada prisão do golpista, Diosdado Cabello, presidente da legítima Assembleia Constituinte, afirmou: “um dos principais conspiradores do golpe acaba de ser preso”. “Eles pagarão perante os tribunais pelo golpe fracassado que tentataram.”

Vale destacar que a Justiça já tem outras 11 ordens de prisão de deputados golpistas ligados a Guaidó, e entre eles consta o nome de um dos grandes golpistas da camarilha oposicionista e organizador da “Operação Liberdade”, Juan Andrés Mejía.

Na terça-feira (dia 7), após a malograda tentativa de golpe, a Assembleia Constituinte, – órgão legítimo e soberano do país, retirou a imunidade de Zambrano e de outros seis deputados, permitindo que os mesmos sejam processados e paguem pelas sabotagens cometidas contra o país. Logo que a proteção parlamentar foi retirada, os ratos saíram em debandada a procura de refúgio. A deputada Mariela Magallanes, por exemplo, foi parar na residência do embaixador da Itália, em Caracas.

Assim que o governo chavista deu um passo importante no combate aos lacaios do imperialismo, o secretário-geral da OEA (Organização dos Estados Americanos), Luis Almagro, líder de articulações golpistas do exterior que pressionam a Venezuela à ceder aos interesses dos EUA, pediu para “que a Sebin pare com a intimidação e respeite as imunidades parlamentares dos deputados”, e por fim, solte imediatamente o vice-presidente da Assembleia Nacional.

Apesar da pressão internacional, os chavistas não impediram a justiça de começar a prender os golpistas. Edgar Zambrano era vice-presidente de Assembleia Nacional fajuta, que deveria estar fechada pois foi substituída pela Assembleia Constitucional. Diante da ameaça do imperialismo e das sucessivas tentativas de golpe – recheados com muita violência da direita – os chavistas não podem adotar outra política.

Os golpistas precisam ser presos para que não continuem conspirando contra o país; inclusive o cão amestrado dos EUA – Juan Guaidó.