Combate à pandemia
Bloqueio criminoso do imperialismo complica a luta contra o COVID-19 na Venezuela, que tem recebido ajuda da China e da Rússia
Venezuela-implementos-Covid19-China (1)
País tem recebido ajuda através de ponte aérea com a China: Foto: Reprodução/Prensa Latina |
Caracas (Prensa Latina) A Venezuela aumenta a partir desta semana os testes rápidos do Covid-19, graças aos novos kits doados pela China, juntamente com outros suprimentos e equipamentos médicos para reforçar as medidas de assistência.

 

Segundo o anúncio feito pelo presidente Nicolás Maduro, no programa de televisão La Hojilla, neste domingo, a análise de pessoas suspeitas de serem portadoras do novo coronavírus SARS-CoV-2 se intensificará.

Na tarde de sábado, chegou um avião desta nação sul-americana do país asiático com os primeiros 500 mil kits de testes rápidos para a implantação da segunda ofensiva para conter a propagação do Covid-19 (doença causada pelo patógeno), além de 55 toneladas de assistência técnica com suprimentos, material cirúrgico e medicamentos.

Como parte da ajuda humanitária estabelecida, os ventiladores também vieram reforçar os hospitais e tomógrafos sentinelas, além de cinco milhões de máscaras, 100.000 roupas de isolamento, óculos de segurança, luvas e chinelos para o pessoal de saúde.

‘Graças à China, graças ao presidente Xi Jinping; graças ao embaixador chinês na Venezuela; graças ao embaixador venezuelano na China; graças à profunda associação estratégica China Venezuela ‘, destacou o presidente em seu discurso no programa de televisão.

Ele também anunciou que ‘nas próximas horas, mais um milhão de testes chegarão e muito mais equipes com o transporte aéreo estabelecido entre as duas nações’, afirmou.

Da mesma forma, anunciou a chegada nos próximos dias de um avião militar da Rússia com equipamento médico.

‘O presidente Vladimir Putin me enviou uma mensagem ontem? Sexta-feira à noite, ratificando todo o seu amplo apoio estratégico à Venezuela em todas as áreas’, disse Maduro.

Relacionadas