Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Supporters of Venezuela's President Nicolas Maduro attend to the last campaign rally with pro-government candidates for the upcoming parliamentary elections, in Caracas December 3, 2015. Venezuela will hold parliamentary elections on December 6. REUTERS/Carlos Garcia Rawlins
|

Caracas, AVN O presidente da Comissão de Economia da Assembleia Nacional Constituinte (ANC), Andrés Eloy Méndez, destacou que 75,2%  do orçamento de 2019, cerca de US$1,5 bilhão, está destinado ao investimento social.

Como parte da política de proteção social executada pelo governo venezuelano, o orçamento contempla a meta de alcançar cinco milhões de pensionistas pelo Instituto Venezuelano do Seguro Social (Ivss).

“Dentro do orçamento anual está contemplado cinco milhões de pensionistas para o ano que vem. Vamos manter a estatística de inclusão”, disse durante a sessão ordinária ANC, onde se debateu a Lei de Orçamento do Exercício Fiscal de 2019.

Além disso, “se manterá as seis milhões de famílias protegidas mediante os bônus de Lares da Pátria, assim como também o sistema de distribuição dos Comitês Locais de Abastecimento e Proteção (Clap) e fortalecê-lo”, disse.

Ele destacou que o orçamento 2019 – que contará com aproximadamente 1.5 bilhão de bolívares soberanos (724 milhões pela atividade petroleira; 304 milhões por arrecadações do Senado e 500 milhões através do crédito público internacional) – protegerá 7,6 milhões de estudantes da educação pública (Inicial, básica e diversificada) para o próximo ano.

“Em 2018 abrimos 300 mil vagas nas escolas públicas para aqueles que saíram dos colégios privados”, disse o constituinte.

Méndez afirmou que os recursos da produção petroleira foram calculados com base a uma produção diária de petróleo de dois milhões de barris em 2019. E o custo do barril calculado entre US$55 e US$60.

“Acreditamos conveniente recorrer ao financiamento e reprogramação de nossa dívida por um montante de 276 milhões de bolívares”, disse.

A expectativa é ativar cerca de 20 mil brigadistas com apoio de conselhos comunais para ampliar ou reformar 500 obras em todo o território nacional.  “Vamos rumo a uma economia de manutenção de nossas obras”.

Também será executada uma nova fase de recuperação de 1.800 unidades do transporte público.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas