Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit

Os patrões, no seu cinismo, costumavam reclamar dizendo que a justiça sempre dava ganho de causa ao trabalhador. Isso realmente acontecia com frequência nas causas pequenas, apesar de a maioria dos juízes serem de direita, devido à situação que se repete em praticamente todas as empresas – se não todas – onde o trabalhador está sempre esmagado.

Agora, depois da reforma trabalhista, depois do golpe, nem isso está ocorrendo. Tem sido muito frequente os casos em que trabalhadores recorrem à justiça para serem indenizados pelas injustiças que sofrem no ambiente de trabalho e são condenados, humilhantemente, a indenizar o patrão. As quantias estipuladas nesses casos são impossíveis para a maior parte dos trabalhadores, que, via de regra, recebem um salário de miséria.

No último dia 7, uma sentença dada por uma juíza de Mato Grosso condenou um vendedor a pagar R$ 750 mil de indenização ao ex-patrão, que ele processava na Justiça sob a acusação de irregularidades trabalhistas.

A ação movida pelo vendedor tramitava desde 2016, ou seja, antes da votação da reforma trabalhista. No entanto, ao decidir, a Justiça considerou que o intervalo de quatro meses entre a aprovação dessa reforma anti- povo  – que deveria ser considerada criminosa – e a entrada dela em vigor seria tempo suficiente para o vendedor reavaliar os riscos do processo.

Tal justificativa demonstra claramente o nível de cinismo do judiciário para justificar uma dura realidade: se antes os trabalhadores estavam esmagados, agora o projeto da direita é incinerá-los vivos.

Por isso, o povo não deve nenhum respeito a esse judiciário golpista e a esses juízes, inimigos do povo que recebem salários estratosféricos e não pensam duas vezes antes de esmagar a classe trabalhadora.

É dever de todo movimento popular e de todo partido de esquerda questionar às últimas consequências a ditadura do judiciário, demonstrando a todos a podridão da justiça, que deve ser toda reformulada, começando pela eleição dos juízes pelo povo, para que ele não fique à mercê de almofadinhas que nunca souberam o que é trabalhar na vida.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas