HAMBURGUER_1
SHARE
COMANDO DE GREVE

Rui Costa Pimenta alerta para novo golpe da burguesia

Mais um crime do PSDB

Venda da sede do sindicato dos metroviários de SP é ilegal

Como sempre, sem trégua a burguesia institucionalizada e seus acordos e esquemas sujos a cargo do empresariado “casado” com a legenda golpista

Sede dos metroviários de São Paulo foi ameaçada de despejo pelo PSDB – Foto: Folha de S.Paulo

Publicidade

Como sempre, sem trégua a burguesia institucionalizada e seus acordos e esquemas sujos a cargo do empresariado “casado” com a legenda golpista.

Além de absurda a venda da sede dos metroviários do metrô de São Paulo é ilegal, isso é o que denuncia o sindicato dos metroviários de São Paulo.

O Sindicato dos Metroviários de São Paulo nesta sexta-feira, 02 de julho de 2021, apresentou denúncia-crime à Polícia Civil por irregularidades no leilão do terreno onde está localizada sua sede no Tatuapé, na zona leste da capital de São Paulo.

De acordo com o sindicato, uma das diretoras da Porte Engenharia, empresa que arrematou o imóvel, Milena Soares, é esposa do diretor de gestão de contratos do Metrô, Mauricio Soares.

Vale lembrar que o sindicato foi notificado pela Justiça para que em cinco dias deixe o imóvel, caso contrário, poderá haver reintegração de posse, inclusive com acionamento da polícia, conforme decisão da juíza Luiza Barros Rozas Verotti, da 13ª Vara de Fazenda Pública em favor do Metrô de São Paulo em 24 de junho de 2021.

A compradora do terreno da sede dos metroviários é a Porte Engenharia e Urbanismo LTDA através de uma de suas “SPE’s” (sociedade de propósito específicos) da qual a diretora Sra. Milena Soares, assumiu em 08/09/2020 a Diretoria de Incorporação e Juliana Gomes Rocha Bouvier assumiu a coordenação de Ciência Urbana da empresa Porte Engenharia e Urbanismo.

Poucos meses depois, em 12 de Novembro de 2020, foi aberta a licitação n° 10015883, referente ao terreno UNI18 – Rua Irape S/N, estrategicamente localizado atrás do shopping metrô Tatuapé. Cerca de um mês depois, em 16 de Dezembro de 2020, foi realizada sessão pública e a empresa URIEL GASPAR I EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS SPE LTDA, representada pela senhora Juliana Gomes Rocha Bouvier, adquiriu o terreno de 3.506,15m² pelo valor de 6.600,00/m².

Em 27/04/2021, foi aberta a licitação N° 10016275, referente ao terreno UNI28 – Rua Serra de Japi 31, local sobre o qual se encontra erguido o sindicato dos metroviários. Em 28/05/2021 foi realizada sessão pública onde a empresa UNI 28 SPE LTDA, representada pela mesma Juliana Gomes Rocha Bouvier, adquiriu o prédio e o terreno de 2179,75m² pelo mesmo valor de R$ 6.600,00/m², desconsiderando totalmente prédio e infraestrutura construídos no local.

Ambos os terrenos localizam na região conhecida como “Eixo Platina”, local onde a empresa Porte Engenharia e Urbanismo possuí diversos outros empreendimentos de alto padrão (Almagah, Platina 220, Geon, Crona e Metria), onde comercializam imóveis por até 14 mil reais o m/², principalmente se considerarmos os valores de comercialização do edifício Platina 220, o mais alto da cidade de São Paulo. Por essa razão, terrenos da região, onde o potencial construtivo chega a até 6 vezes a área do terreno por estarem no

zoneamento ZEU (Eixo de Transformação e Estruturação Urbana), não são vendidos por menos de 10.000,00/m².

Curioso verificar que:

Anteriormente à contratação da Sra Milena, a empresa Porte, de expressiva atuação na região Leste, nunca havia adquirido nenhum outro terreno do metrô e, curiosamente, os editais foram criados e leilões realizados após a sua chegada.

Em ambos os leilões as empresas adquirentes apresentaram sempre os maiores lances em todas as rodadas.

Para leilão do UNI 28 a Porte Engenharia e Urbanismo abriu uma empresa de propósito específico já com o nome utilizado para o terreno no leilão sem teoricamente nem ter como saber se de fato conseguiria adquirir o referido terreno. Consta no boletim de ocorrência que a Sra Juliana esteve na sede do metrô avaliando o terreno e sua estrutura, dizendo a uma funcionária que tudo seria derrubado, dias antes do terreno entrar em processo de leilão.

Vale lembrar que o proprietário da empresa Porte Engenharia e Urbanismo, Sr. Marco Antonio Melro, foi preso em 2011 por fraude em pagamento de outorga onerosa à prefeitura de São Paulo.

Além disso, apesar de toda a especulação imobiliária na região, é notável a falta de investimento em infraestrutura urbana no “Eixo Platina”. A própria Rua Platina, principal via, apresenta trechos bastante estreitos e incapazes de receber a demanda proposta pelos 5 empreendimentos da referida empresa, que podem virar 7 devido a essas mais 2 aquisições.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.