Veja os temas das Universidades de Férias anteriores: a próxima será sobre o fascismo

photo_2019-01-09_20-11-59

Destinada originalmente à formação política de seus militantes, a Universidade de Férias do PCO é realizada duas vezes por ano desde 1998 em conjunto com o Acampamento da Aliança da Juventude Revolucionária (AJR). A formação política não é estanque, mas um processo contínuo de interpretação da realidade. Nesse sentido, se por um lado temas conceituais, históricos ou biográficos são escolhidos sempre em função de sua relação com os problemas colocados nos dias presentes à luta pela libertação do proletariado, por outro lado, o cenário político-econômico é sempre analisado à luz do trotskismo – que nada mais é que o marxismo do nosso tempo. Os diversos temas abordados ao longo dessas duas décadas e 42 edições anteriores poderiam ser agrupados em teoria, biografias, história e Brasil.

Teoria

No campo da teoria, o objeto de estudo mais explorado é a obra O capital de Karl Marx. O livro, que foi elaborado ao longo de mais de vinte anos pelo militante alemão, constitui a síntese mais bem acabada da economia política socialista, e já foi tema da Universidade de Férias em 1998, 2002, 2008 e em 2014. A Teoria e história da revolução permanente foi estudada em 1999, abrindo as portas para um estudo extenso de teoria marxista em temas como Ética, marxismo e política revolucionária (2001); Materialismo histórico:a concepção marxista da história e da sociedade (2005); Marxismo e anarquismo (2005); A concepção científica da sociedade: o marxismo e seus inimigos ideológicos (2006). Na fronteira entre pensamento e estudo da ação concreta, foram abordados os temas Teoria e prática das frentes populares (2003); Concepção marxista do partido político (2004) – rebatido em A questão do partido operário (2013) – e Revolução e contrarrevolução (2013).

História

Em janeiro de 1999, estudou-se a História das Internacionais operárias, ao que se seguiu, em 2001, Do manifesto comunista à IV Internacional: momentos decisivos da história do movimento operário. No campo histórico, porém, os temas privilegiados são aqueles ligados aos grandes movimentos revolucionários, sobretudo o russo. Tanto é que o primeiro tema, ainda em 1998, foi Revolução russa, revolução cubana e revolução socialista no Brasil, ao que se seguiu, cinco anos depois, História revolucionária da Rússia, do populismo ao fim da URSS (2003); bem como as comemorações de 90 e 100 anos da Revolução Russa de 1917, em 2007 e 2017, e O que foi o stalinismo (2016). No âmbito global, a crise histórica do capitalismo foi objeto de estudo em 2012 e em 2017 – talvez o tema mais abrangente já tratado nessa atividade de formação.

Biografias

Evidentemente, o personagem mais extensamente biografado pela Universidade de Férias foi Karl Marx, cujas vida e obra foram tratadas em seis edições da atividade, entre 2008 e 2011. Leon Trotski foi também exaustivamente estudado em cinco edições, em 2007, 2015 e 2016. Embora a teoria leninista permeie todos os cursos, Lênin, o pai da revolução russa, foi tratado monograficamente apenas na 34ª edição da Universidade (2014) – o que certamente significa que ainda teremos mais atividades sobre esse importante revolucionário. Ainda no campo de personagens importantes, Che Guevara e a revolução cubana foi o tema de 2002, e Rosa Luxemburgo, vida e obra foi o tema de 2011.

Brasil e seu movimento operário

O estudo da história nacional é talvez a ponte mais direta entre a teoria e a construção de análises de conjuntura atuais. Por isso, nosso país foi objeto de estudo em diversas das 43 edições. O tema foi quase que literalmente “aberto” com as Chaves para a história do Brasil e as Chaves para a história do movimento operário brasileiro nas duas edições de 2000. Doze anos depois, na 30ª Universidade de Férias, o tema foi O ano revolucionário de 1922 no Brasil. A história recente foi o tema da última edição da atividade, realizada em julho de 2018, com o título Brasil: da crise da ditadura militar ao golpe de 2016, em que elaborou-se uma minuciosa construção histórica das principais forças políticas ainda hoje em jogo.

Fascismo: o que é, e como combatê-lo

O tema da 43ª Universidade de Férias é talvez o mais voltado para a ação prática imediata, diante da ascensão da extrema-direita no Brasil e no mundo. Como se sabe, tais grupos políticos nada mais são que um braço armado da burguesia, que – embora sempre existam – ganham proeminência quando as contradições no interior na própria burguesia se tornam mais marcadas. Tal foi o caso após a crise capitalista de 1929, e também é o caso na crise atual.

Os fascistas se desenvolvem como grupos paramilitares destinados à ação violenta direta contra as organizações e lideranças operárias – agrupando setores da classe média e do lumpen-proletariado. É o caso desde os Freikorps da Alemanha até o MBL hoje no Brasil – que, financiado pelo imperialismo, preparou o ambiente para a eleição de Jair Bolsonaro em 2018.

Com a ascensão de Bolsonaro ao poder no Brasil, os canhões da repressão voltaram-se mais definitivamente sobre as organizações operárias. Conforme o próprio Lula já atestou, o objetivo do imperialismo com o atual governo é destruir o Partido dos Trabalhadores.

Por isso, para agir hoje resolutamente contra o avanço da direita e do golpe, é necessário não apenas ter uma compreensão sistemática do que é o fenômeno do fascismo, tal como ocorreu em outros países e em outros momentos da história, mas também um estudo sobre os meios concretos de se combatê-lo. Este é o objetivo da 43ª Universidade de Férias, dando seguimento a décadas de acúmulo teórico sistemático e contínua ação política do Partido da Causa Operária!

Junte-se a nós nessa luta! Inscreva-se já em nosso site e compareça!

Temas da Universidade de Férias do Partido da Causa Operária

  • 1ª Universidade de Férias | 1998 – Revolução Russa, Revolução Cubana e Revolução Socialista no Brasil
  • 2ª Universidade de Férias | 1998 – Introdução ao estudo de O Capital de K. Marx
  • 3ª Universidade de Férias | 1999 – História das Internacionais operárias
  • 4ª Universidade de Férias | 1999 – Teoria e história da Revolução Permanente
  • 5ª Universidade de Férias | 2000 – Chaves para a história do Brasil, uma interpretação marxista
  • 6ª Universidade de Férias | 2000 – Chaves para a história do movimento operário brasileiro
  • 7ª Universidade de Férias | 2001 – Do Manifesto Comunista à IV Internacional, momentos decisivos da história do movimento operário
  • 8ª Universidade de Férias | 2001 – Ética, marxismo e política revolucionária
  • 9ª Universidade de Férias | 2002 – Introdução a O Capital de K. Marx
  • 10ª Universidade de Férias | 2002 – Che Guevara e a Revolução Cubana
  • 11ª Universidade de Férias | 2003 – História revolucionária da Rússia, do populismo ao fim da URSS
  • 12ª Universidade de Férias | 2003 – Teoria e prática das frentes populares
  • 13ª Universidade de Férias | 2004 – Introdução a O Capital de K. Marx
  • 14ª Universidade de Férias | 2004 – Concepção marxista do partido político
  • 15ª Universidade de Férias | 2005 – Materialismo histórico, a concepção marxista da história e da sociedade
  • 16ª Universidade de Férias | 2005 – Marxismo e anarquismo
  • 17ª Universidade de Férias | 2006 – A concepção científica da sociedade – O marxismo e seus inimigos ideológicos (o chamado marxismo ocidental), parte 1
  • 18ª Universidade de Férias | 2006 – O marxismo e seus inimigos ideológicos (o chamado marxismo ocidental), parte 2
  • 19ª Universidade de Férias | 2007 – León Trotski: vida, obra e atualidade do marxismo
  • 20ª Universidade de Férias | 2007 – 90 anos da Revolução Russa de 1917
  • 21ª Universidade de Férias | 2008 – O Capital, das origens à crise atual
  • 22ª Universidade de Férias | 2008 – Marx, vida e obra, parte 1
  • 23ª Universidade de Férias | 2009 – Marx, vida e obra, parte 2 – Do Manifesto à Revolução de 1848
  • 24ª Universidade de Férias | 2009 – Marx, vida e obra, parte 3 – Do manifesto à Revolução de 1848
  • 25ª Universidade de Férias | 2010 – Marx, vida e obra, parte 4 – Materialismo, dialética, materialismo histórico e a Comuna de Paris
  • 26ª Universidade de Férias | 2010 – Marx, vida e obra, parte 5 – Materialismo, dialética, materialismo histórico e a Comuna de Paris
  • 27ª Universidade de Férias | 2011 – Marx, vida e obra, parte 6 – Materialismo, dialética, materialismo histórico e a Comuna de Paris
  • 28ª Universidade de Férias | 2011 – Rosa Luxemburgo, vida e obra
  • 29ª Universidade de Férias | 2012 – A crise capitalista
  • 30ª Universidade de Férias | 2012 – O ano revolucionário de 1922 no Brasil
  • 31ª Universidade de Férias | 2013 – A questão do partido operário
  • 32ª Universidade de Férias | 2013 – Revolução e Contrarevolução
  • 33ª Universidade de Férias | 2014 – O Capital e a inevitabilidade do socialismo
  • 34ª Universidade de Férias | 2014 – Lênin – a vida, a doutrina, a obra
  • 35ª Universidade de Férias | 2015 – Trotski, vida e obra | parte 1
  • 36ª Universidade de Férias | 2015 – Trotski, vida e obra | parte 2 | A revolução Russa
  • 37ª Universidade de Férias | 2016 – O que foi o stalinismo
  • 38ª Universidade de Férias | 2016 – Trotski, vida e obra | Fascismo e frente popular
  • 39ª Universidade de Férias | 2017 – Trotski, vida e obra | O programa de transição
  • 40ª Universidade de Férias | 2017 – 100 anos da Revolução Russa
  • 41ª Universidade de Férias | 2018 – A crise histórica do capitalismo do surgimento do imperialismo ao neoliberalismo
  • 42ª Universidade de Férias | 2018 – Brasil: Da crise da ditadura militar ao golpe de 2016
  • 43ª Universidade de Férias | 2019 – Fascismo: O que é, e como combatê-lo