Siga o DCO nas redes sociais

Acidentes em frigorificos
Vazamento de amônia no Marfrig de Várzea Grande – MT
No Frigorífico Marfrig de Várzea Grande, município de Mato Grosso, houve, no dia 15 de setembro, vazamento de gás amônia, afetando a vizinhança à três quilômetros do frigorifico
marfrig-varzea-grande
Acidentes em frigorificos
Vazamento de amônia no Marfrig de Várzea Grande – MT
No Frigorífico Marfrig de Várzea Grande, município de Mato Grosso, houve, no dia 15 de setembro, vazamento de gás amônia, afetando a vizinhança à três quilômetros do frigorifico
Vista aérea do Margrif de Várzea Grande
marfrig-varzea-grande
Vista aérea do Margrif de Várzea Grande

Moradores do município de Várzea Grande, cidade do estado de Mato Grosso do Sul, sentem odor característico do gás, utilizado para refrigeração em câmaras frias e acionaram os bombeiros da cidade.

O vazamento ocorreu na noite de domingo, dia 15 de setembro, às 20 horas, em um caminhão que continha o produto para abastecimento dos cilindros no frigorifico Marfrig, conforme o sitio Midia News de 16 de setembro.

Segundo o portal da internet, os bombeiros receberam quase 20 ligações denunciando a ocorrência do vazamento, no entanto, sequer uma única dos responsáveis pelo frigorífico.

Não existe nenhuma informação de pessoas socorridas, porém, não é necessário dizer que, pela distância em que percorreu o gás, chegando a mais de três quilômetros, muito provavelmente houve vítimas, principalmente para os próprios trabalhadores do frigorífico, uma vez que, mesmo em pequena quantidade, pode causar danos irreparáveis, tanto nos olhos, como irritações e até cegueira, na pele, com queimaduras, bem como em partes internas dos trabalhadores e o conjunto da população vizinha.

Os donos dos frigoríficos procuram esconder todo e qualquer acidente com seus funcionários, porque não fornecem os equipamentos adequados, ignoram manutenção de equipamentos e os maquinários, em sua maioria, carecem de proteção. No caso do gás amônia, a manutenção que deveria ter todo um cuidado especial devido à tragédia causada quando do vazamento, onde não só os trabalhadores devem evacuar o estabelecimento, como a população vizinha deve fazer a mesma coisa, também é ignorado completamente.

Os responsáveis não comunicam às autoridades, como o corpo de bombeiros, pelo motivo de tentar esconder toda essa sujeira por debaixo do tapete e fingir que nada acontece, apesar da gama enorme de ocorrências dentro da produção, manutenção etc., ou seja, os patrões não passam de verdadeiros criminosos, consideram os trabalhadores como um objeto qualquer, que pode-se jogar fora quando bem quiser.