Siga o DCO nas redes sociais

Assédio golpista ao futebol
Vasco fecha patrocínio com empresário bolsonarista dono da Havan
Vasco da Gama, tradicional clube carioca terá logomarca das Lojas Havan no uniforme do time em 2020
vasco_havan
Assédio golpista ao futebol
Vasco fecha patrocínio com empresário bolsonarista dono da Havan
Vasco da Gama, tradicional clube carioca terá logomarca das Lojas Havan no uniforme do time em 2020
‘Foto – Reprodução” – Luciano Hang, proprietário da Havan
vasco_havan
‘Foto – Reprodução” – Luciano Hang, proprietário da Havan

Um dos mais tradicionais e vitoriosos clubes de futebol do país, o Clube de Regatas Vasco da Gama, do Rio de Janeirto, acaba de receber um presente de grego neste final de ano. A diretoria do clube acaba de fechar um patrocínio com ninguém menos do que o empresário bolsonarista e sonegador de impostos, Luciano Hang, proprietário da loja de departamentos Havan.

Afundado em dívidas – como de resto estão todos os grandes clubes nacionais em função da crise que atinge  todo o país, como resultado do golpe de Estado de 2016 – o clube carioca de São Januário foi assediado pelo empresário direitista (uma figura patética e bizarra) que, de forma oportunista, considerando uma situação quase falimentar do clube, se valeu das dificuldades financeiras pelas quais o time passa e ofereceu sua logomarca para que a mesma fique estampada no omoplata dos atletas, na camisa oficial do clube.

O empresário Luciano Hang é o mesmo que protagonizou espetáculos de pura bizarrice durante as eleições presidenciais de 2018, apoiando ostensivamente o então candidato da extrema direita, Jair Bolsonbaro que, através da mais grotesca das fraudes e manipulação, acabou elegendo-se presidente da república. Não foram poucas as denúncias contra o empresário bolsonarista durante a campanha eleitoral, que obrigou os funcionários das lojas a vestirem a camisa do candidato fascistóide, ameaçando de demissão aqueles que se recusassem a fazer propaganda para Bolsonaro.

Logo que foi anunciado o acordo entre a diretoria do clube e o proprietário das lojas Havan, imediatamente houve uma enxurrada de protestos por parte de um setor da torcida vascaína, inconformada em ver na tradicional camisa cruzmaltina a logomarca de uma empresa que ostenta laços de irmandade com o bolsonarismo reacionário, incompatível com a grandeza e a popularidade do time do Rio de Janeiro, detentor de vários títulos estaduais e nacionais, sendo a segunda maior torcida no Estado e uma das maiores do pais, com torcedores espalhados por todas as regiões.

Mesmo sabendo das dificuldades de caixa do clube, um  setor da torcida se declara contrária ao acordo da diretoria do Vasco com o “Véio da Havan”. O muro da sede do clube foi pixado na última sexta-feira, dia 20, com xingamentos à loja do empresário sonegador-reacionário-bolsonarista. O fato envolvendo o clube carioca e as lojas Havan, para muito além de uma operação comercial de marketing esportivo, revela, através das manifestações de protesto e repúdio por parte de um setor da torcida, a elevada e crescente impopularidade do bolsonarismo e tudo a que a ele está associado.

O fato é que governo Bolsonaro, em toda a sua extensão, é um cadáver insepulto, um governo que só tem a oferecer tragédia e sofrimento às massas populares e à população em geral. Este sentimento generalizado de repúdio, asco e revolta ao governo deve ganhar contornos de luta organizada de todos os setores da sociedade, particularmente dos trabalhadores, incluindo aí torcidas organizadas, conformando um amplo movimento nacional para colocar para fora o governo mais repudiado da história do país. Fora Bolsonaro! Fora todos os golpistas.