VAR, o melhor europeu da Copa, decreta: França campeã do mundo

campeã-1

A vontade e o dinheiro imperialista fizeram-se valer na final da 21ª Copa do Mundo de futebol na Rússia. Como era objetivo desde a preparação para a Copa do Mundo, uma seleção imperialista da Europa sagra-se campeã pela 4ª vez consecutiva, mas ainda havia um empecilho para isto, a seleção croata de futebol, que teve que ser contida, assim como a seleção brasileira pela colaboração decisiva de seu grande reforço, o árbitro de vídeo, ou como ficou conhecido, o VAR.

Em um jogo em que nos primeiros três quartos da partida a Croácia dominou totalmente a partida, com uma posse de bola que chegou em grande parte da partida a 60% do total, com um grande número de desarmes ainda no campo defensivo da França, com muitas chances de gol que levaram perigo a meta francesa, a Croácia foi derrotada pelo apito amigo do VAR.

Tal afirmação foi compartilhada neste domingo por muitos craques da bola, um desses foi Rivaldo, campeão do mundo em 2002, que através de seu twitter, criticou o 1° gol francês:

“Quando eu falei que todos jogadores faziam o mesmo que Neymar não estava errado. Neste momento, França está ganhando com um gol que não deveria ter acontecido por não ter sido falta, e o árbitro errou feio. Também o tal de VAR não entrou em campo a favor da Croácia e agora entrou a favor da França. Uma final de Copa do Mundo não pode ter um erro desses do árbitro que, de momento, está prejudicando a Croácia”.

Outro famoso jogador que compartilhou da opinião de Rivaldo foi Iker Casillas, goleiro campeão do mundo pela Espanha em 2010, que afirmou:

“Sinceramente, não entendo bem o uso do VAR. O árbitro dá uma falta que não é (falta) em Griezmann. Gol da França nesta ação. Não acontece nada”, e para Casillas no lance do pênalti para a França, o lateral Perisic não tinha como tirar a mão do caminho e só acerta a bola com o membro porque o francês Blaise Matuidi errou a cabeçada antes, ou seja, um lance totalmente involuntário.

Outro que corrobora a opinião do goleiro espanhol é o ex arbitro e  comentarista de arbitragem da Rede Globo, Arnaldo Cezar Coelho, enfatizando a omissão da equipe de árbitro de vídeo  no lance que resultou no primeiro gol da França contra a Croácia. Segundo o ex-juiz, o VAR precisaria entrar em ação. Arnaldo analisou que a falta que resultou no primeiro gol da França sobre a Croácia na final da Copa do Mundo, não deveria ser marcada, pois segundo o comentarista:  “No primeiro lance, o Griezmann foi muito esperto, cavou. Portanto, não houve a falta. E do lance saiu o gol, então foi irregular”.

O poderio econômico europeu se fez valer mais uma vez e tirou de seu caminho as melhores seleções, para dar o título ao mercado imperialista europeu. Para isso tratou também de aniquilar a seleção brasileira, a maior prejudicada da copa. Vamos relembrar.

No empate em 1 a 1 com a Suíça, quando o atacante Zuber empurrou o zagueiro Miranda e cabeceou para o gol, o VAR não foi utilizado. Em outro lance Gabriel Jesus foi derrubado na área por Akanji, penalti, mais uma vez o VAR foi contra o Brasil. Nos dois lances, árbitro não usou a revisão na tela que fica à beira do gramado.

No segundo jogo contra a Costa Rica, Neymar foi puxado pelo zagueiro costa riquenho dentro da área. O juiz holandês Bjorn Kuipers, sem hesitar, marcou pênalti, no entanto, veio ordem da cabine do VAR, para “revisar” a jogada pelo recurso de árbitro de vídeo, ele voltou atrás e esta se tornou a primeira vez em que houve anulação de pênalti na Copa do Mundo.

Na desclassificação do Brasil contra os belgas, mais um gol do VAR, o Brasil reivindicou duas penalidades, em cima de Gabriel Jesus e Neymar, mas o árbitro sérvio Milorad Mazic optou por não analisar os replays.

Com tudo isso, o imperialismo conseguiu tirar um a um de seu caminho, os obstáculos aos vultuosos lucros de seu mercado e através de seu melhor jogador, o VAR, a França foi a campeã da 21ª Copa do Mundo de Futebol da Rússia.

Ficha técnica:

15/7 – Estádio Luzniki (Moscou)

FRANÇA 4 x 2 CROÁCIA

Gols: Mandzukic (contra), aos 18 minutos do 1º tempo, Perisic, aos 28 do 1º tempo, Griezmann (pênalti), aos 38 do 1º tempo, Pogba, aos 13 minutos do 2º tempo, Mbappé, aos 20 do 2º, Mandzukic, 24 do 2º. Cartões amarelos: Kanté, Lucas Hernández (França), Vrsaljko (Croácia).

FRANÇA: Lloris; Pavard, Varane, Umtiti e Hernández; Pogba, Kanté (Nzonzi, aos 9 do 2º), Matuidi (Tolisso, aos 28 do 2º), Mbappé e Griezmann; Giroud (Fekir, aos 36 do 2º). Técnico: Didier Deschamps.

CROÁCIA: Subasic; Vrsaljko, Lovren, Vida e Strinic (Pjaca); Rakitic, Brozovic, Rebic (Kramaric, aos 26 do 2º), Modric e Perisic; Mandzukic. Técnico: Zlatko Dalic.

Árbitro: Néstor Pitana (Argentina), VAR Europeu.