VAR: Inimigo do futebol brasileiro masculino e feminino

brasil e australia

A seleção brasileira feminina de futebol, no dia de ontem ( 13 de junho) foi “operada” pelo VAR ( árbitro de vídeo ) no jogo que realizou contra a seleção australiana na copa do mundo de futebol feminino.

O resultado de 3 a 2 para a seleção da Austrália contra as meninas do Brasil não expressa de maneira nenhuma a superioridade técnica do futebol brasileiro, que logo de início do jogo enfiou 2 gols nas robóticas jogadoras da Austrália.

Precisou que o VAR , artilheiro da última copa do mundo de futebol masculino, entrasse em campo para colocar as australianas à frente no placar, validando um gol absurdamente ilegal.


O lance desse gol ilegal desmoraliza qualquer defensor do VAR pois os árbitros de vídeo interromperam o jogo para que o juiza de campo voltasse atrás de uma marcação da anulação de um gol impedido, alegando que a jogadora impedida não teria participado do lance, uma interferência interpretativa que é considerada ilegal na utilização desse recurso.


Sem contar que a jogadora australiana que estava impedida participou efetivamente do lance que levou a zagueira brasileira no afã de impedir que a bola chegasse a atacante australiana levou a fazer um gol contra.

Após esse lance a seleção brasileira não teve mais nenhum lance de arbitragem marcada a seu favor.


No último lance perigoso de gol a favor das brasileiras a zagueira australiana segurou de forma acintosa a atacante brasileira dentro da área, impedindo-a de fazer o gol.


O lance a olho nu não deixava dúvidas de que houve  pênalti, no entanto, o jogador VAR, inimigo do jogadores brasileiros e brasileiras, não quis entrar em campo nesse lance.

A juíza deu continuidade ao jogo como se nada tivesse ocorrido, mostrando o conluio da arbitragem contra o futebol feminino do Brasil.


Novamente a imprensa esportiva do Brasil golpista e ” paga pau ” do futebol europeu não só ” escondeu ” o roubo do VAR contra o Brasil como enalteceu o futebol truculento e robótico da seleção feminina da Austrália. 

Agora a seleção brasileira terá que vencer, ou vencer  a seleção italiana, como também enfrentar  o VAR para continuar na próxima fase da Copa do mundo.