Capitalismo
O caso mostra claramente que o nível de desenvolvimento de um país se mede entre outros fatores pelo seu nível de industrialização e capacidade de inovação tecnológica.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
apple
A maçã mordida, símbolo da companhia. | Foto: Toshiyuki /Flickr/Reprodução

No último dia 19, a empresa norte-americana de tecnologia Apple teve suas ações na Bolsa avaliadas em US$ 467,84, o crescimento de 1,2% foi suficiente para colocar a multinacional com um valor de mercado acima dos US$ 2 trilhões. É a primeira empresa daquele país a atingir o marco histórico.

Apenas a petrolífera Saudi Aramco tinha sido a única empresa de capital aberto a atingir esse valor. Isso em dezembro de 2019, quando a estatal árabe realizou um IPO (Oferta Pública Inicial) de ações com procura recorde.

A Apple acompanhou os principais índices de ações dos EUA em seus máximos históricos. O fenômeno tem efeito direto com a injeção de dinheiro pelo Federal Reserve (Banco Central norte-americano) e a possibilidade de novos pacotes de estímulo à indústria. Outro fator preponderante foi a possibilidade de uma vacina eficiente contra o Covid-19.

Recentemente a mesma Apple foi a primeira empresa a atingir UU$ 1 trilhão em valor de mercado. O fato ocorrido em agosto de 2018 impulsionou outros monopólios como a Amazon, Alphabet (Google) e Microsoft a atingirem índices semelhantes.

O caso da Apple mostra claramente que o nível de desenvolvimento de um país se mede entre outros fatores pelo seu nível de industrialização e capacidade de inovação tecnológica. A “façanha” acaba escancarando o abismo entre uma única empresa imperialista e um país atrasado como o Brasil.

Sozinho, o valor de mercado atingido pela Apple superou por exemplo o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil após o Golpe de Estado: 2016 (US$ 1,796 trilhão); 2017 (US$ 2,054 trilhões); 2018 (US$ 1,869 trilhões).

Uma curiosidade é que a história do celular, da telefonia e das telecomunicações em geral é também a história da União Soviética. O estado operário soviético que nasceu de uma Rússia completamente agrária é um marco bem sucedido de industrialização e desenvolvimento em tempo recorde.

O primeiro aparelho celular que se tem notícia foi inventado pelo comunista Leonid Ivanovich Kupriyanovich. O inventor russo era um famoso engenheiro, conhecido por suas invenções na área de comunicação.

O Brasil por sua vez, com uma economia semelhante à da Rússia czarista, onde a atividade econômica primária (agricultura) ainda é a mais significativa, possui um potencial enorme de desenvolvimento represado pela elite entreguista em conluio com imperialismo. Esse crime fica evidente quando índices como o apresentado superam a riqueza de uma nação de dimensões continentais.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas