Siga o DCO nas redes sociais

Vai e vem da Funai: é preciso derrubar Bolsonaro
bozo
bozo

Após assumir a presidência da República, Bolsonaro transferiu através de uma medida provisória a pasta da Funai do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos para o Ministério da Justiça e tirou a responsabilidade da demarcação de terras indígenas da Funai para o Ministério da Agricultura. A medida foi aprovada pelo congresso, entretanto o mesmo devolveu a responsabilidade das demarcação de terras para a Funai. Bolsonaro então emitiu uma segunda medida provisória devolvendo a responsabilidade da demarcações de terras indígenas para o Ministério da Agricultura. A segunda medida provisória foi então suspensa pelo ministro da justiça, Barroso, em uma pseudo disputa entre a burguesia.

O Ministério da Agricultura é controlado pelos latifundiários, os quais têm interesses em devastar as terras indígenas e são os maiores responsáveis pelos assassinatos dos índios e sem terra no campo e nas florestas brasileiras. A medida poderia parecer a um primeiro ponto de vista algo positivo, entretanto é a transferência de um engodo a outro. Pois o Ministério da Justiça é controlado por Sérgio Moro e se observamos bem, durante os shows da Lava Jato, umas das empresas que mais patrocinavam as palestras de Sérgio Moro era a empresa Statoil. A Statoil é uma empresa estatal Noruega especializada da extração de petróleo. Outra empresa que pertence ao governo da Noruega é a mineradora Hydro. Está mineradora foi responsável pela construção de uma tubulação, ao qual desaguava no Rio Muripi rejeitos tóxicos de mineração. A denuncia contra a mineradora foi feita por Paulo Nascimento, um líder local ao qual foi assassinado após ter pedido de proteção do estado negado. Seria o dito democrático governo da Noruega responsável pelo assassinado de Paulo Nascimento?

Não existe outra solução ou outra saída democrática para os indígenas que não passem pela derrubada do governo Bolsonaro. As reservas indígenas estão sobre áreas com recursos minerais, mas também em áreas que o agronegócio tem interesse. Para fazer o serviço sujo, a burguesia internacional e nacional colocaram no poder um governo fascista para acabar os as demarcações de terras. Agora cabe ao povo derrubar esse regime.