Vagner Freitas, presidente da CUT, chama todos ao ato nacional em Brasília no dia 15 de agosto

freitas

Em ato realizado em frente ao Tribunal Federal Regional da 4ª Região (TRF-4) em Porto Alegre, o presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Vagner Freitas, chamou todos a um grande ato nacional no dia 15 de agosto em Brasília para registro da candidatura de Lula à presidência da República. “Vai ser uma candidatura registrada por milhares de pessoas. Lula vai ser candidato, vai ser eleito e em janeiro vai subir as escadas do Palácio do Planalto e propor um referendo revogatório de todos os atos que os golpistas fizeram contra o Brasil” – disse.

Luiz Inácio Lula da Silva está preso há 100 dias por ordem de Sérgio Moro, o “Mazzaropi” da Odebrecht, num processo com condenação sem provas. O processo de Lula ainda não transitou em julgado – falta ser avaliado pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Para garantir que Lula seria preso, a própria Suprema Corte legalizou a prisão em segunda instância logo após o golpe de 2016.

Há pouco mais de uma semana, o desembargador Rogério Favreto, do TRF-4, acatou um pedido de habeas corpus da defesa de Lula, gerando uma atabalhoada reação dos golpistas para manter Lula no cárcere – descuidando totalmente de sequer manter algum verniz de legalidade. Sérgio Moro, o Mussolini de Maringá, um mero juiz de piso, deu ordens à Polícia Federal (PF) que não soltasse o ex-presidente. Dois desembargadores golpistas – um de férias e outro de folga – interferiram ilegalmente na decisão de Favreto. Lula continuou preso.

Wagner Freitas afirmou, diante do TRF-4, “esse tribunal descumpriu a lei. Lula tinha que ser imediatamente solto. O ministro da Justiça e a Polícia Federal também descumpriram a lei, porque não cumpriram a decisão judicial”.

O presidente da CUT relembrou ainda que, graças às operações do Judiciário e da PF, diversos setores da economia nacional entraram em crise, como a indústria petroleira, a construção civil e o agronegócio. “Querem que o Brasil seja colônia do capital internacional. O que acontece no Brasil salta aos olhos do mundo inteiro”.

Freitas e diversas lideranças de esquerda acreditam no poder da mobilização popular, e por isso garantiram presença na Conferência Nacional Aberta de Luta contra o Golpe, que se realizará em São Paulo nos próximos dias 21-22 de julho. Além do ato do dia 15 de agosto, a CUT chama ainda uma série de paralisações no dia 10 como um dia de “basta ao desemprego”.