Menu da Rede

Antônio Carlos Silva

O que está em discussão?

Vacina e ciência

Hoje, quem questiona a obrigatoriedade da vacina é "anticientífico". Ora, desde quando está proibido ter opinião?

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Uma discussão que tive com a companheira Natália Pimenta foi bastante instigante. Vivemos realmente em tempos absurdos.

A questão da vacina contra o coronavírus tem dividido opiniões. Os que defendem a vacina criticam os que são contra ela como pessoas anticientíficas, que contestam a ciência. Nosso Partido já falou bastante sobre o problema dos direitos democráticos do cidadão, que devem incluir, naturalmente, o de não tomar a vacina se não quiser, e discutimos várias vezes a tentativa absurda de obrigar a população a se vacinar. Falemos um pouco da “ciência”.

Primeiramente é preciso dizer que a medicina não é uma ciência exata. O fato é que não se compreende em profundidade todos os mecanismos do corpo humano. O que hoje é recomendado como saudável, amanhã se descobre que não é de fato saudável e recomenda-se o contrário. 

Meu avô materno, por exemplo, sofreu um infarto lá pela década de 1950. Na época, o recomendado para os acometidos de parada cardíaca era repouso absoluto. Até mesmo subir e descer uma escada dentro de casa era para ser feito com moderação. Hoje, o exercício físico praticado com moderação, a atividade física em oposição à ociosidade, são a norma.

Isso não significa, é claro, que deve-se necessariamente ignorar as recomendações do médico. Afinal, não temos muita escolha. Mas significa que é possível sim contestar muitas das verdades estabelecidas pela medicina. Mais ainda, é preciso.

Falo de banalidades. Aí vai mais uma: o ovo. Sim, o ovo de galinha, parte da dieta do brasileiro, já foi bandido e mocinho diversas vezes ao longo das últimas décadas. Em nenhum momento, no entanto, as pessoas que optavam por um estrelado de gema mole foram acusadas de serem “anticientíficas” ou “inimigos da ciência”. 

Agora, com a vacina, ocorre o contrário. A mera possibilidade de sua existência e eficácia (sim, porque ainda não há vacina, apenas promessas) foi o suficiente para exaltar opiniões, particularmente no meio da esquerda.

Mas é preciso levar em conta também que há muita controvérsia entre cientistas de diversos ramos e não se pode dizer que aquele cientista que contesta as teses comumente aceitas é anticientífico. Felizmente, talvez, a acusação leviana de “anticientificismo” não alcança tais esferas. O cientista teria permissão para discutir benefícios e prejuízos da vacina. Os meros mortais, não. Teriam que seguir o que diz a Ciência, com “c” maiúsculo.

Um último exemplo. A homossexualidade. Até bem pouco tempo atrás, era crime e doença. Não é mais. Então, que dizem os científicos defensores da ciência científica da obrigação da vacinação? Desafiariam a ciência ou baixariam a cabeça diante da condenação médica e penal?

No presente caso, para não contestar a ciência deveríamos então confiar plenamente nos laboratórios que estão produzindo a vacina e nos governos. 

Eles representam a ciência? Ou são empresas capitalistas atrás de lucrar com a pandemia? Pior, não são eles a pior máfia, que inclusive barram o desenvolvimento de cura para doenças para que possam vender mais remédios?

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores
O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Cultura

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.