Utopia psolista: não existe reforma agrária sem luta contra o golpe

reforma agraria mst 2

O pré candidato à presidência da República pelo Psol, Guilherme Boulos, vem se apresentando como o candidato que pode fazer a reforma agrária no Brasil.

A propaganda eleitoral do Psol não passa de uma propaganda barata de um grupo pequeno burguês, que diz defender a reforma agrária, sem defender a expropriação do latifúndio, autodefesa dos sem terras diante dos assassinos dos latifundiários etc.

Mas o que é criminoso nessa propaganda é o fato do candidato do Psol, que não tem a mínima chance de ganhar as eleições, apresentar que a reforma agrária no Brasil vai ser realizada após as eleições presidenciais, ou seja, se os trabalhadores sem terra votarem no Psol a reforma agrária acontecerá sem muito esforços.

O candidato do Psol participa das eleições tentando arrebanhar eleitores do PT, sem dizer que o Brasil vive um golpe de Estado e que Lula está preso pelos golpistas justamente para impedir que a situação do país se modifique, e que os golpistas continuem controlando o país e dando as cartas no controle da questão agrária no Brasil.

É por isso, que mesmo com Lula preso, com os institutos de pesquisa dos golpistas fazendo pesquisas sem a presença de Lula, o candidato do Psol não consegue nem 1% nas pesquisas. Os trabalhadores da cidade e do campo já perceberam que sem derrubar o golpe, sem libertar Lula da cadeia dos golpistas, não haverá nenhum ganho para os trabalhadores e muito menos reforma agrária.