USP apresenta história do movimento estudantil em fotos

collor

O Instituto de Estudos Brasileiros (IEB) da USP disponibilizou em seu site a mostra virtual Movimentos Estudantis Através do Arquivo do Instituto de Estudos Brasileiros (1920-1970). Ao todo, são 40 documentos que narram 50 anos de luta dos estudantes. A mostra busca acompanhar o Simpósio Internacional Cinquenta Anos de 1968 – A Era de Todas as Viradas, organizado pelo Departamento de História da FFLCH, que ocorreu entre os dias 6 e 8 de junho.

A mostra sobre o movimento estudantil brasileiro vem em um momento importante de luta. O golpe de Estado está levando a Educação à mais completa destruição. A extrema-direita, por meio do Projeto Escola sem Partido, tem feito uma intensa campanha para tentar legalizar a censura dentro das escolas. Recentemente, Temer anunciou um corte de mais de 1 R$ bilhão em alguns programas, principalmente o FIES.

O golpe de Estado também propiciou que a direita aumentasse imensamente as perseguições dentro das universidades. O suicídio do reitor Luiz Cancellier, da UFSC, que sucumbiu diante da pressão e das calúnias colocadas pela direita, é o maior exemplo dessas perseguições.

Diante dessas e todas as demais atrocidades do golpe de Estado, é necessário que os estudantes se inspirem nos anos mais combativos do movimento estudantil e se organizem para uma intensa, tenaz e decidida luta contra os golpistas. A batalha da UFPE, ocorrida em outubro do ano passado, mostrou que há uma forte tendência à mobilização contra a direita.

Estudantes e trabalhadores da educação: é hora de lutar contra o golpe. É hora de formar comitês de luta em todas as universidades e escolas e mobilizar todos para a Conferência Nacional Aberta de Luta Contra o Golpe.