Urnas fraudadas! Hackers invadiram sistema da urna eletrônica durante as eleições

BRAZIL-ELECTION-PREPARATIONS

Da redação – Nesta quinta-feira (08), foi divulgada uma denúncia gravíssima: segundo informações, a Justiça Eleitoral sofreu uma invasão de hackers ao sistema GEDAI-UE das urnas eletrônicas e teve o código do sistema de carga do software vazado durante a semana anterior ao segundo turno das eleições presidenciais, que o Partido da Causa Operária (PCO) alertou serem completamente fraudadas por diversos motivos.

A notícia é do site TecMundo, que recebeu os documentos por meio de duas fontes anônimas e os enviou ao TSE, que está investigando o caso. A presidência, juntamente com a área técnica, ficaram até tarde da noite de terça tratando desse assunto.

Segundo a investigação, os invasores teriam entrado remotamente em equipamentos ligados à rede do TSE e tido acesso, entre outras coisas, a documentos sigilosos e ao login do ministro substituto Sérgio Banhos e do chefe de TI do TSE, Giuseppe Janino.

O sistema Gedai-EU, é, segundo o site do TSE, o “gerenciador de dados, aplicativos e interface com a urna, que fornece às equipes dos cartórios eleitorais e dos tribunais Regionais Eleitorais (TREs)”. Foi esse sistema que foi invadido pelos hackers.

Conforme informação relatada por um dos hackers ao site TecMundo, a invasão ocorreu devido à vulnerabilidades nas aplicações desenvolvidas pelo próprio Tribunal. Segue abaixo a conversa do hacker com o site:

“Tive acesso à rede interna (intranet) e, por vários meses, fiquei explorando a rede, inclusive entrando em diversas máquinas diferentes do TSE, em busca de compreender o funcionamento dos sistemas de votação”, escreveu a fonte. “Com isso, obtive milhares de códigos-fontes, documentos sigilosos e até mesmo credenciais, sendo login de um ministro substituto do TSE (Sérgio Banhos) e diversos técnicos, alguns sendo ligados à alta cúpula de TI do TSE, ligado ao pai das urnas.”

Segue abaixo descrição do Hacker em relatório ao TecMundo:

“Passadas algumas semanas em que estive utilizando os equipamentos de rede do TSE, notei via emails dos técnicos da STI que os mesmos notaram tráfego suspeito (porque utilizei programas de scan na rede)”. E mais: “Fizeram uma perícia para detalhar como o invasor conseguiu obter acesso ilegal à rede, mas mesmo com todos estes procedimentos de segurança que dotaram, incluindo a alteração de senhas de todas as contas, acabou não sendo suficiente para interromper meu acesso aos emails e também para a rede interna”.

Esse caso gravíssimo mostra que as urnas eletrônicas são muito frágeis à manipulação. O TSE fez uma ampla campanha durante as eleições garantindo que as urnas seriam invioláveis. Isso já está provado que não passa de uma mentira. A invasão de hackers mostra que elas são perfeitamente fraudáveis e foram fraudadas.