Mobilizar contra os fascistas
Polícia quer colocar a culpa no MST por incêndio provocado por bolsonaristas
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
bahia
Polícia no Assentamento Jaci Rocha, 28/08/2020 | Foto: Diário Causa Operária

Na edição de ontem (27) deste diário, denunciamos que a Polícia Militar invadiu, fortemente armada, o Assentamento Jaci Rocha, que se localiza entre Itamaraju e Prado, situado as margens da BR 101, no Extremo Sul da Bahia. Os agentes já chegaram usando bombas e armas pesadas para intimidar as famílias que vivem no assentamento.

A ação do Estado foi promovida para atender, como sempre, aos interesses dos políticos bolsonaristas da região, notadamente o fascista Wilson Brito, ligado à direção bolsonarista do INCRA. Os latifundiários, que vêem no governo Bolsonaro um representante de seus interesses, querem privatizar as áreas de reforma agrária colocada em prática pelo fascista Jair Bolsonaro.

A invasão, portanto, teve como objetivo ameaçar os moradores e, ao mesmo tempo, infiltrar elementos bolsonaristas na região. À noite, após a primeira invasão, um infiltrado bolsonarista ateou fogo em uma casa. Com isso, a Polícia Militar fascista ganhou um novo pretexto para invadir novamente, na manhã de hoje (28), o assentamento.

O MST, que está sendo vítima de todo tipo de investida da extrema-direita, está sendo acusado pela polícia de ter feito aquilo que os bolsonaristas fizeram: atear fogo em uma casa. É preciso denunciar amplamente as falsificações da extrema-direita e mobilizar todos os trabalhadores da região para impedir que a ofensiva fascista continue. É preciso organizar a autodefesa dos trabalhadores e enfrentar os fascistas.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Relacionadas